Bem-vindo/a ao nosso site

 

 

 

 

IDEB das escolas da 2ª CRE retrata melhorias na educação pública estadual

O Rio Grande do Sul superou sua meta de 5,3 nos anos iniciais, atingindo a média de 5,5, conforme mostram os resultados do último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), de 2013.  Nos anos finais, do sexto ao nono ano, o Estado passou de 3,8, em 2011, para 3,9, em 2013.  Os resultados gerais do IDEB tiraram o Estado da nona colocação, projetando-o para o segundo lugar nacional, demonstrando os avanços que a educação teve.

A 2ª CRE realizou algumas visitas para acompanhar esse avanço pedagógico em suas escolas. Exemplo disso é a Escola Piu XII, de Bom Princípio, que atingiu a média de 7,0 nas séries iniciais do Ensino Fundamental. De acordo com a diretora, Maridalfa Bonfanti Luft, os resultados são fruto dos projetos pedagógicos desenvolvidos na escola, do envolvimento da comunidade e dos professores e dos investimentos realizados na educação pela Seduc.

A Escola 10 de Setembro, de Dois Irmãos, também está comemorando seus resultados. Nas séries iniciais do Ensino Fundamental, a Escola superou a sua meta de 6,0 pontos, alcançando 6,8. Já nas séries finais, a Escola pulou 10 pontos: de 4,4, em 2011, foi para 5,4, em 2013. Para a supervisora da escola, Andreia Blume, os resultados se devem ao planejamento participativo entre pais e professores para superar as dificuldades: “procuramos acompanhar de perto os alunos”, afirma.

Na Escola João Wagner, de Morro Reuter, a diretora Sônia Feldmann, comemorou com a comunidade escolar a média de 7,7 no Ideb dos anos iniciais do Ensino Fundamental.  Sônia atribui o desempenho a vários fatores, como a formação continuada dos professores, a gestão escolar, a participação da comunidade e os projetos pedagógicos interdisciplinares. A Escola desenvolve vários projetos ligados à leitura, confirmando o título de cidade leitora, atribuído à Morro Reuter, que tem, inclusive, um monumento dedicado aos livros na sua entrada. “Os alunos dos 4ºs e 5ºs anos apadrinham alunos dos 1ºs, 2ºs e 3ºs anos, introduzindo-os no universo da leitura”, explica a diretora. Para a aluna do 6º ano, Maysa Deimling Zimmer, a nota no IDEB foi resultado de muito empenho e da ajuda constante dos professores.

Para a coordenadora da 2ª CRE, Marinês Pariz, os resultados do IDEB refletem as políticas da Seduc: “foram feitos muitos investimentos na recuperação dos espaços físicos, recursos para equipamentos e mobiliário, modernização tecnológica e formação de professores”, declara. A maioria dos municípios de abrangência da 2ª CRE venceu as metas para 2013 na educação estadual, como é o caso de São Leopoldo, por exemplo, cuja meta era de 5,3, mas atingiu 5,4.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Fotos: Visita à Escola João Wagner 

 

 

 

2ª CRE visita escola Cônego Afonso Scherer, de Santa Maria do Herval

Foto: turma do 1º ano, da professora Solange, produzindo textos.

Nesta quarta (09) a titular da 2ª Coordenadoria Regional de Educação, Marinês Pariz, realizou visitas nas escolas da cidade de Santa Maria do Herval, começando o roteiro pela Escola Estadual de Ensino Médio Cônego Afonso Scherer. A Escola, única a ofertar Ensino Médio na cidade, atende a 356 alunos do Ensino Fundamental e Médio, nos três turnos.

O diretor da Escola, Daniel Weber, apresenta a escola e explica que a gestão prima pela transparência e pela participação da comunidade. Práticas como a disponibilização, para todos os alunos, do cardápio da alimentação escolar e da prestação de contas dos recursos da escola são exemplos disso. Ainda de acordo com o diretor, a escola avança a olhos vistos, tanto na estrutura física quanto na proposta pedagógica. As marcas desse avanço pedagógico estão por todos os lados, como é o caso do protótipo de luz solar, desenvolvido pelos alunos do Ensino Médio Politécnico. O projeto, premiado em feiras e mostras de iniciação científica, já foi apresentado ao prefeito da cidade como alternativa viável de iluminação pública mais barata e mais ecológica.

Além do politécnico consolidando pesquisas interdisciplinares, os professores também desenvolvem atividades que integram a comunidade escolar. Prova disso é a trilha ecológica, organizada pelo professor de Educação Física, Marcos Rogério dos Santos, com os pais e alunos da escola (foto). A atividade foi feita para celebrar o Dia da Família, em agosto, e proporcionou integração entre pais e filhos, além de explorar a diversidade natural do município, conhecido por suas belas paisagens. A atividade foi tão marcante que os pais estão pedindo bis, comemora Marcos.

Outra marca extremamente positiva da escola são os resultados na alfabetização, com os pequenos. A professora Solange Inês Wiest Schnorr, premiada pelo Grupo de Estudos sobre Educação, Metodologia de Pesquisa e Ação (GEEMPA), expressa a sua paixão pela alfabetização mostrando os textos dos alunos: “eles escrevem páginas e páginas e não se inibem com a escrita”, conta.  Como prêmio pelo seu trabalho, a professora recebeu, recentemente, uma viagem cultural a Pariz, juntamente com outros seis professores do Estado. A metodologia de ensino pós-construtivista garantiu a alfabetização da turma inteira de Solange até a metade do ano. 

Em conversa com a equipe de professores, Marinês registrou sua satisfação em ver tantas coisas boas acontecendo na escola. “Isso é fruto do trabalho e do comprometimento de cada um, pois sem o engajamento diário do professor nada acontece de revolucionário na educação”, destaca.

 

 

Fotos da visita  

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

Coordenadora da 2ª CRE visita Escola Alberto Schweitzer, em Santa Maria do Herval

 

Em visita ao município de Santa Maria do Herval, a titular da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) foi conhecer de perto o trabalho da Escola Alberto Schweitzer na última quarta, (10). A Escola, que existe desde 1901 e já passou por vários prédios, atende a 121 alunos do Ensino Fundamental.

A Escola fez adesão ao Programa Mais Educação e passará a atender os alunos no contraturno. A diretora da Escola, Margarete Capeletti Lechner, comemora essa conquista: “os pais, na sua maioria, trabalham na indústria e não têm onde deixar seus filhos no turno inverso às aulas”.

Marinês aproveitou a passagem pela escola para conversar com os alunos. De acordo com a professora de Português, Mabel Dewes, os alunos, na sua grande maioria, falam a variante linguística do hunsrik (do alemão) e isso é valorizado pela escola. O acervo da biblioteca confirma isso: lá é possível encontrar uma versão do Pequeno Príncipe (Te Kleene Prins) traduzida para o hunsrik pela própria professora, em coautoria com a presidente do Museu local, Solange Maria Hamester Johann. Embora os alunos não tenham aula de hunsrik, eles são incentivados a falar a língua na sala de aula e já têm a consciência da importância desse inventário linguístico: “eles são bilíngues e isso é muito valioso”, ressalta Mabel.

 

Visita ao Museu Professor Laurindo Vier

 

 

 

 

diretora do museu apresentando a obra O Pequeno Príncipe, traduzida para o hunsrik

 

Para conhecer melhor esse trabalho de resgate do hunsrik, Marinês Pariz visitou também o Museu Local, presidido pela professora de História e Letras, Solange Maria Hamester Johann. O Museu abriga o maior acervo de arquitetura germânica do mundo e vem desenvolvendo um trabalho pioneiro, reconhecido internacionalmente, com o resgate da variante da língua alemã: o hunsrik. De acordo com Solange, a cidade já recebeu visitas de doutores em Linguística do mundo todo para ver de perto esse trabalho. Exemplo disso é a doutora Úrsula Wiesemann, de Berlin, que ficou por cinco anos em Santa Maria do Herval estudando o hunsrik e o projeto desenvolvido na cidade.

O projeto encabeçado por Solange está inserido em uma proposta da Sociedade Internacional de Linguística (SIL), que visa a registrar línguas ameaçadas de extinção. Solange explica que das cerca de sete mil línguas existentes no planeta, somente duas mil são documentadas. Em conformidade com os PCNs e com a Declaração Universal dos Direitos Linguísticos, Solange reflete sobre a importância de as crianças de origem germânica terem os seus conhecimentos linguísticos reconhecidos pela escola.  “A criança que chega à escola para ver que os seus conhecimentos já adquiridos em casa não valem nada fora, dificilmente pode desenvolver a autoconfiança necessária para ter uma vida realizada. Diante dos problemas normais de toda a vida humana sempre se achará insuficiente. Isso pode levá-la ao desespero, simplesmente porque a alfabetização foi feita numa língua que ela desconhece ou conhece mal. Assim, esperamos que nosso trabalho possa ser útil para uma nova escola brasileira, a escola que alfabetiza na língua materna do aluno”.

As propostas vanguardistas de Santa Maria do Herval precisam ser multiplicadas, de acordo com Marinês Pariz. Para isso, a coordenadora da 2ª CRE já está pensando em uma formação com todas as escolas para tornar o projeto conhecido. “Muitas das nossas 170 escolas estão inseridas em comunidades com descendência germânica e a valorização da língua materna pelas escolas é um conceito linguístico moderno, que deve ser expandido e incentivado”, acredita.

 

Fotos:

Visita ao museu Profº Laurindo Vier 

Visita à Escola Alberto Schweitzer 

 

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

 

  

 

 

E.E.E.F. João Gräwer Filho de Dois Irmãos se prepara para as Olimpíadas Escolares/2014.

Veja mais 

 

 

 

Equipes diretivas da 2ª CRE têm reunião regionalizada

 

Na última quarta (03), a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) chamou reunião de equipes diretivas regionalizada. As 170 escolas foram divididas por regiões e as reuniões ocorreram em três polos: Taquara, Novo Hamburgo e Harmonia. A pauta da reunião foi o Plano Estadual de Educação e uma prestação de contas da Seduc e da 2ª CRE. Os encontros foram conduzidos nos três turnos pela coordenadora, Marinês Pariz, pelo coordenador adjunto, Paulo Taufer, e pela chefia do Setor Pedagógico, Cleci Souza. 

O responsável por encaminhar a discussão sobre o Plano Estadual de Educação, Paulo Taufer, falou da necessidade de as equipes diretivas mobilizarem a comunidade escolar para fazer a discussão sobre os seis cadernos temáticos. Esses cadernos contém a sistematização das 20 metas do Plano Nacional de Educação para o decênio de 2015 a 2025. Cada comunidade escolar pode propor emendas, que serão sistematizadas pela 2ª CRE e encaminhadas ao Fórum Estadual de Educação. Essas emendas serão votadas na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul e podem virar lei. “Esse processo é fundamental, pois ratifica a participação das comunidades, fortalecendo, assim, a democracia e o debate sobre a educação”, acredita Paulo. 

A equipe da CRE retomou também as principais ações desenvolvidas pela Seduc nos quatro eixos estratégicos: recuperação física da rede e modernização tecnológica; reestruturação curricular e formação continuada; qualificação do sistema e democratização da gestão; valorização profissional. Por meio de quadros comparativos, de gráficos e de estatísticas, os investimentos realizados na educação, nas diferentes áreas, foram apresentados às equipes diretivas. De 2011 a 2014, o Estado investiu R$ 320 milhões em reformas e obras nas escolas. Na modernização tecnológica, foram aplicados mais de 83,5 milhões e em equipamentos e material didático, mais de R$ 89 milhões. Em linhas gerais, o investimento em Educação no Estado ultrapassou a marca dos R$ 7 bilhões, em 2014.

No eixo da qualificação do sistema e democratização da gestão, a coordenadora, Marinês Pariz, enfatizou a criação do Sistema Estadual de Avaliação Participativa (Seap), como instrumento inovador e ousado de avaliação, planejamento e monitoramento. Essa avaliação é realizada nas escolas da rede estadual, nas coordenadorias e na Seduc, a cada ano. Ainda na gestão, foi relembrada a lei de eleição de equipes diretivas, a transformação dos Conselhos Escolares em unidades executoras e o aumento dos repasses às escolas, via autonomia financeira.

Por fim, no eixo valorização profissional, foi mostrado o quadro de nomeações de professores. Até agosto de 2014, ingressaram na carreira do magistério, via concurso, 12.326 profissionais. De 2011 a 2014, 31 mil professores e 4.300 funcionários foram promovidos e os reajustes salariais e as reposições da inflação chegam a 76,68%, até novembro deste ano.

De acordo com a diretora da Escola São José do Maratá, Cristiane da Silva, a reunião foi muito valiosa, pois propiciou uma visão contextualizada e panorâmica da educação no estado: “as vezes não paramos para visualizar as ações dentro de uma totalidade e temos uma visão fragmentada das coisas”, avalia.

 

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

Coordenadora da 2ª CRE visita escolas no interior

Nesta quinta (04) a titular da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Marinês Pariz, visitou escolas em Montenegro, Pareci Novo e São José do Sul. A intenção das visitas é descentralizar agendas e conhecer de perto a realidade de cada comunidade escolar. Em São José do Sul, na Escola São José do Maratá, Marinês acompanhou um pouco da rotina dos 115 alunos.  A Escola, única estadual do município, atende alunos do ensino fundamental e médio e oferece atividades do Programa Mais Educação, ampliando a permanência dos pequenos do ensino fundamental para sete horas diárias. A diretora, Cristiane da Silva, explica que os alunos participam de oficinas de horta, inglês, esporte, violão e que almoçam na escola. Além disso, os alunos são atendidos mensalmente por uma dentista, que acompanha a saúde bucal das crianças. Cristiane explica que a economia dos cerca de 3 mil habitantes do município gira em torno da cultura de cítricos (bergamota e laranja) e que os alunos se engajam ativamente nas atividades familiares. “Esse conhecimento é utilizado na escola para desenvolver atividades pedagógicas significativas”, conta.

Continuando o itinerário, a coordenadora visitou outra escola do campo: a Osvaldo Brochier, de Montenegro. A Escola também aderiu ao Programa Mais Educação e os alunos do ensino fundamental permanecem no espaço escolar o dia todo, participando de atividades como banda, violão, coral, esporte e canteiros sustentáveis. Os 88 alunos contam com um pátio enorme e nas hortas eles conseguem aplicar todo o seu conhecimento, já que cerca de 90% das famílias trabalha na agricultura, conforme explica a diretora, Débora Pohren Batista. Orgulhosos de suas plantações, os alunos colheram pés de alface para a coordenadora e deram um exemplo de alimentação saudável na hora do almoço, saboreando verduras e legumes cultivados na escola. Senhores de seu espaço, os pequenos conduziram Marinês pela escola, apresentando cada espaço e explicando, com alegria, a sua rotina.

A última visita do dia foi em Pareci Novo, a cidade das flores, conhecida nacionalmente pelo elevado índice de qualidade de vida de seus 3.600 habitantes. A Escola São Francisco de Assis é a única instituição estadual do município, atendendo, portanto, toda a demanda de Ensino Médio. A diretora, Maria Helena Reinehr, apresenta a escola e a coordenadora aproveita a oportunidade para conversar com as turmas. Muito florida e bem cuidada, a escola reflete todo o cuidado da comunidade para com o espaço. Maria Helena explica que no Seminário Integrado, os 105 alunos colocam em ação todo o seu conhecimento sobre cultura de flores e frutas. “Os alunos construíram canteiros sustentáveis e os conhecimentos de todas as disciplinas foram acionados nesse processo”. A diretora ainda conta que a atividade ligada às práticas sociais locais é significativa para os alunos, já que dialoga com a realidade deles.

  

 

Visita à Escola São José do Maratá

Visita à Escola São Francisco de Assis 

Visita à Escola Osvaldo Brochier 

 

  

Jornalista responsável: Mariléia Sell 

 

 

 

 

“A Moça Bonita da Linha do Trem”

No dia 29/08/14 a Escola Portão Velho, através do Programa  Mais Cultura nas Escolas, promoveu em seu auditório a apresentação da Peça Teatral “A Moça Bonita da Linha do Trem”em parceria com a Marca Produções. Este evento de sucesso  encantou crianças e adultos que puderam divertir-se e emocionar-se com a bela história apresentada pelo grupo Deixa Quieto de Salvador do Sul. Aqueles que não puderam comparecer fiquem atentos que o Programa não para por aí. Além das oficinas para alunos, pais e professores que estão ocorrendo na escola, no dia 18/10/14 será a vez do teatro de rua. A partir das 10 horas o Grupo Trilho de Teatro Popular, apresentará sua peça “Umbigo” no Centro de Eventos Lothar Kern no centro de Portão.  A Escola Portão Velho convida a todos para prestigiarem o evento.

 

 

Colaboração da escola

 

 

 

 

4º Seminário Regional da Educação de Jovens e Adultos - 2ªCRE

 

Formação para diretores, professores, e coordenadores pedagógicos com drª em EJA, Aline Cunha - Mediação de Projetos e Relatos de Boas Práticas.

Organizadoras: Tatiane da Silva e Odete Hahn

 

 

 

 

Escolas da 2ª CRE têm projetos premiados na FECITEP

Secretário de Educação, Jose Clovis de Azevedo, visita stands das escolas. Na foto, conversando com o aluno Guilherme Winter

 

A 8ª edição da Feira Estadual de Ciência e Tecnologia da Educação Profissional, Ensino Médio Politécnico e Curso Normal (Fecitep), terminou nesta sexta (29) com a comunicação dos projetos vencedores. O evento ocorreu na Casa do Gaúcho, em Porto Alegre, e reuniu 101 trabalhos, divididos em 14 eixos tecnológicos. O trabalho selecionado em cada eixo garante a sua  participação na Mostra Internacional de Educação Profissional (Mostratec), que acontece de 27 a 31 de outubro, no Centro de Eventos da Fenac, em Novo Hamburgo. A importância da Mostra é assegurada pela sua qualidade e abrangência: são 480 projetos oriundos de 30 países.

 

Confira abaixo os dois trabalhos premiados da 2ª CRE:

 

1º Lugar

Escola: E. Técnica Monteiro Lobato (Taquara)

Projeto: Reformulação de compostos microparticulados a partir de megastrobilos e acículas não modificadas de pinus elliott

Eixo: Produção Industrial

Aluno: Guilherme Winter

Orientadora: Priscila Kasper

 

3º Lugar

Escola: Escola Técnica São João (Montenegro)

Projeto: Aplicação de ligninas kraft no tratamento de couro

Eixo: Controle de Processos Industriais

Alunos: Marina do Amaral; Vitor de Oliveira Sudbrack e Vitoria de Lima Comparsi

Orientadora: Michele CristinBehren

 

 
Jornalista responsável: Mariléia Sell
 
 
 
 
 
 
 
Projeto Literário do autor gaúcho Mario Quintana
 
 

A Escola Estadual de Ensino Fundamental Pedro Schüler de Portão, desenvolveu durante o 2º trimestre o Projeto Literário do autor gaúcho Mario Quintana, onde foram desenvolvidos belíssimos trabalhos pedagógicos, com teatro, entrevistas e trabalhos manuais. No dia 31 de agosto a escola realizou a Mostra Literária com os trabalhos desenvolvidos pelos alunos. Os alunos, pais e comunidade puderam prestigiar os trabalhos exposto na escola.

 

Colaboração da Escola

 

 

 

Coordenadora da 2ª CRE visita escolas de Barão

Nesta quarta (27), a titular da 2ª Coordenadoria Regional de Educação, Marinês Pariz, esteve em Barão, para visitar as três escolas estaduais da cidade. Na Escola Emílio Poersch, os 36 alunos participam do Programa Mais Educação e permanecem na escola por sete horas. Entre as oficinas que ocupam os pequenos estão os canteiros sustentáveis, a música, o apoio pedagógico e o esporte, explica a diretora, Joice Poersch. Os alunos da oficina de música, coordenados pelo professor Joel Rauschkolb, recepcionaram a coordenadora com belas canções, ensaiadas com afinco nas oficinas do Programa Mais Educação. No pátio, a professora de alemão, Valéria Christ, ensaiava danças alemãs com os alunos, preparando as festividades do Dia do Campo. A professora, que fez sua pós-graduação em Leipzig, na Alemanha, conta que, através da língua alemã, faz resgates culturais importantes. “Procuramos resgatar orações, cantigas, parlendas, trava-línguas e brincadeiras dos antigos, pois todo esse repertório constitui a identidade dos alunos”. 

Na Escola Cônego Caspary, Marinês conversou com a equipe de professores sobre Educação em Tempo Integral. A Escola tem interesse em fazer adesão, já que reúne as condições físicas para atender os alunos o dia todo. Dos 102 alunos da Escola, 70 já participam de oficinas do Programa Mais Educação, permanecendo na escola nos turnos da manhã e da tarde.  A diretora da escola, Marinês Wilmsen Jahn, mostra as instalações físicas da escola e as melhorias que pode fazer com os recursos do Mais Educação: “pudemos incrementar a escola e oferecer ainda mais qualidade aos alunos”, declara. Exemplo dessa qualidade está nas refeições servidas na escola: uma horta repleta de verduras, de aipim e de feijão garante nutrientes saudáveis às crianças que ficam na escola o dia todo.

Encerrando a agenda de visitas, Marinês passou pela Escola Assunta Fortini, que é uma das sete escolas da 2ª região a oferecer o Curso Normal e a única do município com Ensino Médio. A Escola recentemente fez adesão ao Programa Mais Educação, que passará a funcionar a partir de setembro, conforme explica o diretor Elton Chassot. Enquanto esteve visitando a escola, a coordenadora concedeu entrevista à Rádio Comunitária Ação FM. Na entrevista, Marinês falou sobre a novidade do Programa na Escola, ressaltando o que essa adesão significa na vida prática dos 360 alunos da escola: “significa que os alunos terão acesso a uma série de atividades no contraturno escolar, ampliando as possibilidades de aprendizagens significativas e aumentando seu tempo de permanência na escola”.

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Visita à EEEF Cônego Caspary   

Visita à EEEF José Emílio Poersch   

Visita à EEEF Instituto Estadual de Educação Assunta Fortini  

 

 

 

 

2ª CRE chama reunião com parceiros para preparar processo de seleção do Pronatec

 

Na última terça (26), representantes de unidades do Senai e do Senac de 10 municípios da região participaram de reunião, na 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), para discutir o processo de seleção do Pronatec.  O processo acontecerá no mês de setembro e o início das aulas está previsto para o início de outubro. Serão ofertadas 2.252 vagas em cursos técnicos e de idiomas para estudantes do Ensino Médio da rede estadual de ensino.

 Além de os alunos terem a gratuidade do curso, ainda recebem auxílio transporte e alimentação. Para se candidatar, é preciso ter 15 anos completos e possuir CPF. Maiores informações podem ser obtidas nas secretarias das escolas ou na 2ª CRE, com o assessor do Programa, Ricardo Fernandes da Luz, através do telefone 3591 2646.

Confira abaixo os cursos ofertados:

Inglês Básico e Intermediário

Espanhol Básico

Alemão Básico

Mecânica

Eletrônica

Mecatrônica

Técnico em Segurança do Trabalho

Informática

Informática para Internet

Logística

Automação Industrial

Curtimento

Design de Calçados

Meio Ambiente

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

5ª EPEF

Certificados do 5ª EPEF a disposição no Site da SEDUC.
Acesso Restrito, Certificações e Eventos com o CPF e a Senha disponibilizada na Inscrição.

 

 

 

 

Coordenadora da 2ª CRE produz artigo acadêmico sobre o Programa Mais Educação

 

Veja abaixo, artigo da coordenadora da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), sobre o Programa Mais Educação, que ela vem assessorando desde a sua criação, em 2007. Marinês é referência regional, estadual e nacional no Programa, que é uma estratégia do Governo Federal para induzir a ampliação da jornada escolar e a organização curricular, na perspectiva da Educação Integral. 

 

Para acessar este item utilize:
http://hdl.handle.net/10183/88089

 

 

  

Professores da 2ª CRE têm jornada intensa de formações

 

Um dos eixos prioritários da Secretaria de Educação do Estado (Seduc) é a valorização profissional do magistério. Entre as ações para valorizar a categoria está a formação continuada, investimento que já soma mais de 60 milhões, de 2011 a 2014. Os encontros de formação continuada ocorrem dentro da carga horária do professor, que pode utilizar um terço das horas trabalhadas para buscar especialização e para fazer o planejamento de suas aulas. Na 2ª Coordenadoria Regional de Educação a rotina de formações é intensa e quase diária, como se pode ver abaixo.

Nos dias 13 e 14 de agosto, no auditório do Colégio PV Sinos, em São Leopoldo, houve um encontro macrorregional sobre Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio. Sessenta professores das 10 escolas Técnicas da 2ª região escolar puderam refletir sobre os eixos estruturantes da Integração Curricular a partir do documento referência da Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio. A assessora da Seduc, Iara Aragonez, retomou conceitos como a interdisciplinaridade e a avaliação emancipatória, além de esclarecer dúvidas sobre o Pronatec.

No dia 15 de agosto, no auditório do Colégio 25 de Julho, em Novo Hamburgo, 115 professores responsáveis pelas bibliotecas escolares receberam orientações sobre ações e programas, como o Lendo Prá Valer, Autor Presente, Crianças e Jovens do Rio Grande Escrevendo Histórias, Trilhas da Leitura e Livro Didático. Além disso, foi retomado o manual das bibliotecas escolares, a gestão dos recursos e serviços, o tratamento da informação e a formação do acervo. A coordenadora das Bibliotecas Escolares na Seduc, Maria do Carmo Mizetti, e a bibliotecária da UFRGS e doutora em Pesquisa Escolar, Iara Neves, reforçaram também a promoção da leitura, a formação do leitor e a importância da hora do conto nas escolas.

No dia 18 de agosto houve o 5º Encontro de Professores de Educação Física, coordenado pela Unisinos e pela 2ª CRE. Cerca de 200 professores dividiram experiências do PIBID da Unisinos, da Feevale e do Unilasalle na Educação Física Escolar. Uma série de seminários temáticos e oficinas, como a educação física e as relações etnicorraciais; o Politécnico, o Pacto do Ensino Médio e os PCNs; a mudança nas regras esportivas; oficinas de tênis de mesa, de futsal, de esporte de aventura e de Futsal, ocuparam o dia dos professores, que, de acordo com o assessor do esporte escolar da 2ª CRE, Francisco de Menezes, compartilharam vivências e aprendizados de forma lúdica e participativa.

No dia 19 de agosto, houve formação para os agentes das ouvidorias das 30 coordenadorias regionais de educação do Estado, na Seduc. Sete secretarias estaduais passaram a contar com esse serviço, que será monitorado via sistema da Procergs, com a finalidade de garantir agilidade e transparência no serviço público estadual. De acordo com o secretário estadual de Educação, Jose Clovis de Azevedo e o ouvidor geral do Estado, Cassius da Rosa, o controle social é uma concepção moderna de gestão e mostra a preocupação que o governo tem com a participação da população na gestão do estado. O cidadão tem diversas maneiras de acessar o Estado para buscar sanar dúvidas, fazer sugestões, críticas ou elogios. Entre as opções estão o telefone, o agendamento de horário presencial com a responsável pela ouvidoria setorial da educação na Seduc, Rosana Chinazzo, ou via e-mail da ouvidoria, que pode ser encontrado no site da educação. O prazo para responder às demandas da população é de nove dias. A ouvidora da 2ª CRE é a professora Mariléia Sell.

Nos dias 21 e 22 de agosto as sete escolas da 2ª CRE que oferecem Curso Normal tiveram o IV Encontro de Normalistas, sediado pelo Instituto Estadual de Educação Assunta Fortini, em Barão. Com o título “Normalistas em Ação: da Amarelinha aos Jogos Tecnológicos” os participantes refletiram  sobre o novo jeito de brincar, mediado, muitas vezes, pela tecnologia. Duzentos aspirantes a professor pararam para tratar de temas como “O lúdico e a autoestima na Educação Infantil e Séries Iniciais”; “Tecnologia, brinquedo e brincadeiras versus qualidade de vida”; “Do Folclore aos Jogos Tecnológicos” e “Hora do Conto”. O evento contou com a participação de palestrantes da Unisinos, da Uninter e da Universidade de Leon, na Espanha.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 fotos: III Formação para Melhoria das Bibliotecas Escolares

           IV Encontro de Normalistas

 

 

 

 

18 Escolas que aderiram ao Programa Mais Educação têm reunião

 

As 18 escolas de abrangência da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) que aderiram ao Programa Mais Educação no ano de 2014 tiveram reunião, na última quarta (20).  O encontro ocorreu na sala de reuniões da 2ª CRE e na ocasião as equipes diretivas tiveram a oportunidade de se familiarizar com a operacionalização do Programa. Além dos aspectos legais, a coordenadora do Programa na 2ª CRE, Marinês Pariz, repassou o manual norteador da política nacional de Educação Integral.

Para o diretor da Escola Affonso Wolf, de Dois Irmãos, Paulo Dapper, a adesão é importante para que a escola ofereça cada vez mais possibilidades aos seus alunos. Na 2ª Coordenadoria Regional de Educação há, até agora, 97 escolas, das 170, cadastradas no Programa. O período de cadastramento encerra no final de agosto.

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

2ª CRE visita escolas em Ivoti e Dois Irmãos

 

Nesta quinta (21) a titular da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Marinês Pariz, visitou escolas nos municípios de Ivoti e de Dois Irmãos. A ideia é descentralizar os atendimentos às escolas e aproveitar para conhecer as demandas in loco. Os professores e equipes diretivas aproveitam a visita para mostrar o trabalho desenvolvido nas escolas, bem como elencar as principais dificuldades.

A equipe de professores da Escola 19 de Outubro, de Ivoti, comemorou os avanços pedagógicos conseguidos através de parcerias com Universidades e Institutos da região.  Estagiários do curso de Psicologia da Feevale realizam um trabalho institucional, envolvendo todos os atores da escola e, na avaliação da diretora, Maria Estela Weber Herzer, a dinâmica e a organização da equipe escolar evoluiu bastante. Estagiários do curso de Letras do Instituto de Educação de Ivoti trabalham atividades de Língua Portuguesa com os alunos, no contraturno, através do PIBID. De acordo com a supervisora das séries finais, Silvia Patussi, e a supervisora das séries iniciais, Marlise Rick, “o trabalho está superando todas as expectativas e os resultados já são sentidos pelas professoras em sala de aula”.

A Escola também lançou o Projeto Sacola Literária, para incentivar a leitura das crianças em suas casas, juntamente com as famílias. Os 74 alunos da escola podem retirar livros da biblioteca e levar a sacola recheada para casa. A aluna do 2º ano, Amanda Silva da Costa, comemora as suas escolhas: “chego em casa e já vou começando a ler”, diz.

Em Dois Irmãos, foi a vez de conhecer as Escolas 10 de Setembro e Affonso Wolf, ambas de Ensino Médio, com excelentes estruturas físicas. A 10 de Setembro, que atende a comunidade desde 1941, tem 715 alunos, distribuídos nos três turnos. A diretora Maria Helena Arnold Wolf conta que os alunos estão envolvidos com o Projeto “O Rio dos Sinos é Nosso”, promovido pelo Grupo Editorial Sinos. A Escola é conhecida como a grande “papa prêmios” do Concurso, já que alterna, ano a ano, entre o primeiro e o segundo lugar. Entre as produções recicladas dos alunos estão charmosos sofás feitos com garrafas pet e pufs de jornal, que estão no hall de entrada da escola e são utilizados pela comunidade escolar.

Outro trabalho destacado pela equipe de supervisão e pela professora de Língua Portuguesa e Literatura, Rosaura Pires, é o Projeto Literário. Desde 1998 a escola traz autores cujas obras contemplam as diferentes faixas etárias dos alunos. Neste ano a escola trouxe Walmor Santos, Antônio Schimeneck e Raul Drewnick, além de uma contadora das histórias de Ruth Rocha.

A Escola Affonso Wolf tem muitos planos para continuar atendendo tão bem seus 1.200 alunos. O diretor, Paulo Dapper, inscreveu a Escola no Programa Mais Educação, buscando incrementar ainda mais a escola, “acrescentando àquilo que já oferecemos”. A Escola também está pleiteando o ensino técnico: “o processo já está no conselho estadual de educação”, explica o diretor. Os cursos pretendidos são Química e Design de Móveis, que a escola já oferece como classe descentralizada da Escola São João Batista, de Montenegro. “Os alunos saem dos cursos com emprego garantido”, diz o diretor.

A Escola está organizando a 1ª Multitec, que exporá trabalhos dos cursos técnicos e das turmas de Ensino Médio Politécnico. Os melhores trabalhos se credenciarão para participar de outras Feiras e Mostras. A Escola está se consolidando na pesquisa. Exemplo disso é um projeto desenvolvido em 2014, sobre as propriedades terapêuticas da casca de um tipo de noz: “a pesquisa rendeu uma bolsa de estudos integral para o estudante”, diz Dapper.

 

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 Em breve mais fotos

Visita à escola 19 de Outubro 

Visita à escola 10 de Setembro 

Visita à escola Affonso Wolf 

 

 

 

 

Integrantes da Seduc realizam reunião com equipe da Coordenadoria

 

Na manhã desta quarta (20) a coordenadora das Regionais de Educação (CREs) da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Carmen Pereira, e a coordenadora do Sistema Estadual de Avaliação Participativa (SEAP), Guilene Salermo, iniciaram um roteiro de visitas às CRES. A primeira coordenadoria visitada, a 2ª, teve acesso, na ocasião, ao relatório de gestão da Seduc e ao Seap, construído coletivamente pela própria Coordenadoria.

Carmen retomou as principais ações desenvolvidas pela Seduc nos quatro eixos estratégicos: recuperação física da rede e modernização tecnológica; reestruturação curricular e formação continuada; qualificação do sistema e democratização da gestão; valorização profissional. Por meio de quadros comparativos, de gráficos e de estatísticas, os investimentos realizados na educação, nas diferentes áreas, foram apresentados à equipe da 2ª CRE. De 2011 a 2014, o Estado investiu R$ 320 milhões em reformas e obras nas escolas. Na modernização tecnológica, foram aplicados mais de 83,5 milhões e em equipamentos e material didático, mais de R$ 89 milhões. Em linhas gerais, o investimento em Educação no Estado ultrapassou a marca dos R$ 7 bilhões, em 2014.

No eixo da qualificação do sistema e democratização da gestão, a coordenadora Guilene Salermo, enfatizou a criação do Sistema Estadual de Avaliação Participativa (Seap), como instrumento inovador e ousado de avaliação, planejamento e monitoramento. Essa avaliação é realizada nas escolas da rede estadual, nas coordenadorias e na Seduc, a cada ano. Na reunião, a 2ª CRE pode rever a sua avaliação nas seis dimensões do Seap e repensar a sua caminhada. Ainda na gestão, foi relembrada a lei de eleição de equipes diretivas, a transformação dos Conselhos Escolares em unidades executoras e o aumento dos repasses às escolas, via autonomia financeira.

Por fim, no eixo valorização profissional, Carmen mostrou o quadro de nomeações de professores. Até agosto de 2014, ingressaram na carreira do magistério, via concurso, 4.730 profissionais. De 2011 a 2014, 31 mil professores e 4.300 funcionários foram promovidos e os reajustes salariais e as reposições da inflação chegam a 76,68%, até novembro deste ano.

Para a professora Taís Schmitz, a reunião foi importante, pois foi um momento de partilha de informações e de diálogo. “Conseguimos situar a educação do Estado, e enxergar o quanto avançamos e os desafios que ainda temos que superar”. Para Taís, a disposição da Seduc de vir conversar com cada Coordenadoria revela o princípio de transparência da gestão em ação. Para a coordenadora da 2ª CRE, Marinês Pariz, os momentos de interação entre Seduc e CRE valorizam a participação de cada agente da educação nos diferentes espaços. Carmen também reforça a ideia da importância de cada integrante da equipe para a consolidação do projeto educacional. “Estamos todos a serviço da educação, cada um no seu campo de atuação”, conclui.

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

Gincana na Escola E. E. F. João Gräwer Filho – Dois Irmãos

 

O projeto “Cuidando do nosso Planeta”, criado pela professora de Ciências Camila Martins da Silva, teve no último dia 09 de agosto, mais uma de suas etapas concretizadas. Na ocasião, foi desenvolvida com as turmas da escola uma gincana de integração abordando o tema reciclagem do lixo.

 A proposta consiste em avaliar a produção de lixo no nosso país, os métodos e técnicas, bem como as políticas públicas de reciclagem de diversos materiais, conscientizando as pessoas da necessidade de reduzir, reciclar e reutilizar materiais, possibilitando uma maior preservação de recursos naturais, desenvolvimento e interação social, reconstruindo conceitos a cerca de fatores que nunca foram abordados com tanta relevância social.

A destruição do meio ambiente é muito grave, pois significa a perda do controle climático da Terra. Este descontrole pode produzir inundações e secas, que provocam a morte de milhares de seres vivos. Frente a estes problemas e questionamentos podemos refletir: o que já fizemos para ajudar o meio ambiente? Que fatos ou experiências vividas teríamos para compartilhar?

 

As tarefas realizadas neste sábado, suas pontuações e o projeto podem ser acessados em nosso blog: http://escolajoaograwer.blogspot.com.br/  Confira a alegria da galera nas fotos! http://www.kizoa.com/Video-Maker/d12773436k7640410o1/gincana-da-reciclagem-do-lixo ou diretamente em nosso blog.

 

Fonte: Colaboração da escola.

 

 

 

Coordenadora da 2ª CRE visita escolas de Bom Princípio

 O itinerário da titular da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Marinês Pariz, começou cedo na última quinta (14), para percorrer as quatro escolas do Município de Bom Princípio. Apesar de ser o dia mais frio do ano, até então, o calor da recepção das comunidades escolares foi unânime.

Os 37 alunos da Escola David Hartmann receberam a coordenadora com canções, ensaiadas na oficina de canto do Programa Mais Educação. Os alunos permanecem na escola em tempo integral e têm ainda oficinas de música instrumental, ciclismo, horta escolar, dança, recreação e lazer e acompanhamento pedagógico. Os alunos do 1º ao 5ª ano fazem todas as refeições na escola e dão uma aula sobre alimentação saudável ao saborearem, já no café da manhã, deliciosos morangos, que são a fruta típica do município.

A diretora, Margarete Bonfanti Rodrigues da Silva, relembra, emocionada, da época em que queriam fechar a escola. “Isso foi no período de 2007 a 2010, mas não assinei o documento de cessação e os pais fizeram um grande movimento, lutando pelo que é deles”. Essa presença maciça da comunidade é visível em todos os cantos da escola: no momento a comunidade está envolvida com a quadra escolar, melhorando a pavimentação. “Queremos ainda colocar uma caixa de areia para os pequenos brincarem”, projeta a diretora.

Na Escola Santa Teresinha do Forromeco, a coordenadora pode verificar in loco o novo cercamento e as novas instalações elétricas do prédio. A diretora, Adriana Dietze Weber, comemora o investimento: “nos sentimos mais seguros agora”. A equipe diretiva está avaliando a possibilidade de aderir ao Programa Mais Educação para impulsionar ainda mais os projetos que a escola já vem desenvolvendo, como é o caso do projeto anual “Criatividade é a arte de inovar”. Em plena organização da Feira do Livro, que neste ano contará com a presença do autor Denis Winston Brum, a escola respira literatura em todos os cantos. “Todos os 263 alunos estão lendo as obras e estão muito animados para conversar com o autor”, explica Adriana. A Escola conta também com uma sala de recursos multifuncionais: “uma especialista em educação especial atende a todos os estudantes todo o município”, esclarece a diretora.

Ainda em Bom Princípio, a diretora da Escola de Ensino Médio Monsenhor José Becker, registra toda a sua alegria com a visita da coordenadora. “Estou na Escola desde 1986 e nunca havíamos tido a honra de receber uma visita”, diz Rita Maria Steffen. A coordenadora visitou todas as salas de aula, conversando com os estudantes sobre as suas expectativas e sobre os projetos desenvolvidos no Ensino Médio Politécnico. Marinês enfatizou as diversas políticas públicas na área da educação, como o ENEM, o PROUNI, o Ciência sem Fronteiras, entre outros, “o que amplia as possibilidades dos alunos de continuarem seus estudos”.  A Escola Monsenhor é a única escola de Ensino Médio na cidade e os seus 410 estudantes são oriundos de escolas estaduais e municipais da região.

A Escola Pio XII, última a ser visitada já estava a postos, esperando para fazer as honrarias. Os alunos cantaram e leram uma carta assinada por todos os 252 alunos para a coordenadora. A diretora, Maridalfa Bonfanti Luft, diz que a canção sobre amizade, preparada pelos alunos, “é para reforçar os laços”.  As turmas de Ensino Fundamental estão envolvidas no projeto anual “Cuidar faz bem”. Inspirado no projeto, o aluno do 4º ano, Davi Birk, lê o seguinte: “através do projeto vimos que podemos cuidar do nosso corpo, da nossa saúde, do nosso amigo, da nossa família, das plantas, dos animais, da água, e principalmente de nossa escola”.

As visitas são uma oportunidade para conhecer a realidade de cada espaço escolar e também para ouvir e pensar conjuntamente as demandas. O que se traz do itinerário, além de deliciosas cucas de morango e de chocolate, é a certeza de que a boa gestão escolar e o trabalho em equipe entre pais, alunos, professores e funcionários são a receita certa para o sucesso. As escolas apresentam estruturas organizadas, limpas, floridas e coloridas, além de oferecerem ambientes climatizados, recursos didáticos atuais e de qualidade e projetos pedagógicos de vanguarda.

 

 Visita à Escola Santa Teresinha do Forromeco

Visita à Escola de Ensino Médio Monsenhor José Becker 

Visita à Escola Pio XII 

 Visita à Escola Albino David Hartmann

 

  Jornalista responsável: Mariléia Sell  

 

 

 

 PROJETO HORTA ESCOLAR  e   PROJETO HORA DO RECREIO   

EEEM PASTOR HEINRICH HUNSCHE 

3º ANO DO ENSINO MÉDIO POLITÉCNICO

 

Fonte: Colaboração da Escola

 

 

 

Sessão Solene em homenagem ao Dia do Estudante

 

No dia 11 de agosto de 2014, houve uma sessão solene, na Câmara de Vereadores de Dois Irmãos, em homenagem ao Dia do Estudante.

A programação especial reuniu várias escolas da cidade e a tribuna foi utilizada por alguns alunos para fazer agradecimentos e reivindicações.

Representaram nossa escola as alunas da 8ª série, turma 81, Bruna Monteiro e Geisiane Rosseto, que solicitaram algumas melhorias, como: um passeio público em torno da escola; uma estrutura metálica que comporte uma rede de proteção na quadra esportiva, pois a bola muitas vezes sai para a rua e mais iluminação pública na parte frontal do educandário porque os professores e funcionários têm reuniões no vespertino, assim teriam mais segurança.

 

A Escola João Gräwer Filho agradece a participação das alunas que muito bem nos representaram.

Fonte: Colaboração da Escola

 

 

 

Consumo Consciente vira tema de Mostra Pedagógica na Escola Assunção

 

Os 172 alunos da Escola Assunção, de Alto Feliz, estão dando uma verdadeira lição sobre consumo consciente, na quarta edição da Mostra Pedagógica, que ocorreu nos dias 14, 15 e 16 de agosto. As turmas do Ensino Fundamental e Médio se envolveram em intensas pesquisas para explorar as possibilidades de reutilização e de reciclagem daquilo que normalmente é descartado nas lixeiras, ou, o que é pior, no meio ambiente. A começar pelo convite e pelas lembrancinhas, tudo foi pensado para dar novas roupagens aos materiais que são vistos como lixo, esclarece o professor de História, Paulo André Rockenbach.

Nas diversas salas temáticas foi possível ver televisões antigas virarem casinhas de gato ou lixeiras, disquetes se transformarem em porta trecos, garrafas pet originarem luminárias e restos de lixo eletrônico servirem de material para criar robôs. Tudo pensando na reutilização de materiais e na estimulação da criatividade dos alunos, diz a professora de Biologia, Janete Schneider, orientadora desse trabalho. Retalhos de tecido se transformaram em lindas colchas de patchwork e discos de vinil e placas de computador viraram charmosos abajures, nas mãos dos alunos da professora de artes, Lilian Schneider. Garrafas pet também serviram para criar jardinagem suspensa e enfeites para os canteiros de flores, nas aulas de Ciências, coordenadas pela professora Ivone Baumgartz.

 Na mesma perspectiva, maquetes de energia renovável também mostraram as possibilidades de um ambiente mais limpo e sustentável, através de materiais reaproveitados, como mostra a professora de Matemática e Física, Mônica Weyh. Maquetes de construções históricas da cidade de Feliz serviram para aplicar os conhecimentos de trigonometria, explica a professora de Matemática, Suzana Schneider Frozi. Os alunos, coordenados por Suzana, também construíram um jogo de xadrez gigante no pátio, fazendo a alegria dos visitantes da Mostra. Também na Matemática, os alunos calcularam os componentes de açúcar e sódio nos refrigerantes, cujas garrafas geraram uma casinha, que será usada como orquidário. A professora conta que no conteúdo das 519 garrafas utilizadas na casinha há, por exemplo, 11 quilos de açúcar. “Os alunos ficam chocados, porque ninguém tem o hábito de analisar rótulos”, conta. Igualmente, os alunos calcularam, com a professora Rosane Freiberger Beal, o custo dos salgadinhos consumidos pelos estudantes na escola. “Visualizar para onde está indo o dinheiro, torna os consumidores mais conscientes”, enfatiza Rosane.

Os materiais alternativos também serviram de inspiração para criar roupas, com direito a desfile e tudo mais, detalha o professor de Química, Josué Buchmann, organizador do evento fashion. Um brechó de roupas usadas também foi montado para arrecadar fundos para as formaturas das 8ªs séries do Ensino Fundamental e dos 3ºs anos do Ensino Médio.

Os alunos de Ensino Fundamental, coordenados pela professora Ana Lúcia Schwendler, trabalharam com a obra Ivan Balangandã, de Helô Bacichette. Na história, o personagem coleta materiais e aprende a transformá-los em coisas. Partindo dessa ideia, o desafio dos alunos era o de criarem seus próprios personagens e brinquedos com material de sucata.  O resultado do desafio foi uma sala repleta de brinquedos coloridos e criativos, como é o caso da casinha de brinquedos, construída com caixas de leite. A autora da obra estará na escola e os alunos terão a oportunidade de mostrar os seus trabalhos a partir da leitura, comemora Ana Lúcia.

 A poesia também encontrou espaço na reciclagem: trata-se das sacolas de papel decoradas com desenhos e com versos. A professora de Sociologia, História e Geografia, Neida Maria Schneider, explica que a reciclagem permite a criação de peças personalizadas, únicas e diferentes.  Giane Zietlow, professora de Espanhol, aproveitou a temática do consumo consciente para trabalhar diferentes gêneros textuais, entre eles o folder, com dicas e orientações para melhor aproveitar materiais reutilizáveis. Gêneros textuais também foi o mote do professor de Inglês, Eneas Coelho, que trabalhou lendas urbanas e contos de horror com as turmas. O túnel do terror, que já é marca registrada da Mostra, ficou recheado de maquetes de cemitérios e castelos, bruxas, espantalhos e outros elementos aterrorizantes.

Todo esse trabalho envolvendo a escola foi registrado em vídeo pelo professor de Informática, Gilberto Beal. A coordenadora do Pacto pelo Ensino Médio e vice-diretora, Claudia Hahn Melo, acredita que esse processo é a politecnia em ação. “A Mostra é a prova concreta de que é possível integrar todas as áreas do conhecimento”. A diretora da Escola, Claudia Biegelmeyer, comemora o sucesso do evento, que atrai visitantes das cidades vizinhas e que já virou referência local. E, como todo trabalho árduo precisa de recompensas, as merendeiras da escola, Marlene Müller, Leane Tomazzi e Lurdes Teixeira, adoçam a vida com os seus já lendários bolos e cucas. Para juntar todas as pontas dessa festa, nada como uma secretária eficiente. Viviane Friederich não tinha paradeiro, estava em todos os lugares, ajudando em tudo e garantindo o sucesso da Mostra.

 

 Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Veja mais fotos da IV MOSTRA ESCOLAR ASSUNÇÃO  

 

 

 

 

Escola Alvino Weber apresenta seu coral no Seminário do Fórum Permanente de Estudos em Educação Integral e Inovações Pedagógicas

 

A Escola Alvino Weber, de Novo Hamburgo, levou seu já famoso coral do Programa Mais Educação para se apresentar no II Seminário do Fórum Permanente de Estudos em Educação Integral e Inovações Pedagógicas, na última terça (12), em Porto Alegre. O evento aconteceu na Faculdade de Educação da UFRGS, e reuniu mais de 230 pessoas de todo o estado, envolvidas com o Programa Mais Educação e a Escola de Tempo Integral.  A criação do Fórum Permanente é uma iniciativa do Comitê Metropolitano de Educação Integral/ Integrada- RS e da UFRGS e tem como missão fomentar o debate e a socialização de práticas educacionais.

Na programação houve relatos de experiências de gestores públicos sobre a construção da educação integral no Brasil. Vários municípios expuseram suas práticas, entre eles Vitorino (Paraná), Bom Jesus do Sul (Paraná) e Santo Antônio da Patrulha (RS). Também houve o relato de experiências de institutos formadores de professores, contemplando o desafio de formar esse novo profissional que atuará nas escolas de tempo integral. Estiveram representadas a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Universidade do Espírito Santo. Também não podiam ficar de fora as grandes protagonistas do processo: as escolas da rede pública de ensino. Escolas do município de Esteio apresentaram suas experiências no processo de construção da educação integral.

Para Marinês, representante do Programa Mais Educação da 2ª Coordenadoria Regional de Educação, a educação integral quebra alguns paradigmas de segmentação da educação. “A escola precisa contemplar a totalidade dos alunos, caso contrário sempre estará negligenciando aspectos fundamentais no processo de formação”.

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

Sessão Solene em homenagem ao Dia do Estudante

 

No dia 11 de agosto de 2014, houve uma sessão solene, na Câmara de Vereadores de Dois Irmãos, em homenagem ao Dia do Estudante.

A programação especial reuniu várias escolas da cidade e a tribuna foi utilizada por alguns alunos para fazer agradecimentos e reivindicações.

Representaram nossa escola as alunas da 8ª série, turma 81, Bruna Monteiro e Geisiane Rosseto, que solicitaram algumas melhorias, como: um passeio público em torno da escola; uma estrutura metálica que comporte uma rede de proteção na quadra esportiva, pois a bola muitas vezes sai para a rua e mais iluminação pública na parte frontal do educandário porque os professores e funcionários têm reuniões no vespertino, assim teriam mais segurança.

 

A Escola João Gräwer Filho agradece a participação das alunas que muito bem nos representaram.

 

 

 

 

 

Escola Hermínia Marques forma alunos de EJA Ensino Médio

 

Noite de festa e gala marcou a formatura de 14 alunos da Educação de Jovens e Adultos, modalidade nove (correspondente ao Ensino Médio), no último dia 08, na Escola Hermínia Marques, em Taquara. A turma representa um verdadeiro encontro de gerações: o aluno mais novo tem 19 anos e o mais velho, 66. Todos, porém, têm o mesmo objetivo: recuperar o tempo perdido. Para isso não medem esforços, como é o caso do aposentado Paulo Renato Ohlweiler (66), que viaja 18 quilômetros todos os dias para “aprender e rejuvenescer”. Para ele a melhor coisa da vida é aprender: “eu estava com os pensamentos parados e agora não quero mais parar”. Paulo pretende ainda buscar um curso técnico, pois, como explica, “tempo não me falta”. Sua área de interesse é o comércio, mas ele ainda está “especulando” antes de se decidir.

Os alunos são acolhidos com uma janta especial preparada pelas merendeiras, levando em consideração que a maioria trabalha durante o dia e vem direto para a escola. A diretora Verlani Catarina Feller explica que a escola faz de tudo para incentivar os alunos a buscarem a sua formação, lamentando o alto índice de brasileiros que não concluem o Ensino Médio. Contudo, ela reconhece que se não fosse pela vontade e persistência dos alunos, a turma não teria chegado nesta etapa de formatura: “eles têm trabalhos pesados no comércio, na indústria e na construção civil e ainda encontram forças para estudar à noite”, elogia.

A coordenadora da 2ª CRE, Marinês Pariz, prestigiou a solenidade e ressaltou a coragem dos alunos em voltar a estudar. Ela também elogiou os professores e os funcionários, que não medem esforços para inovar em sua ação pedagógica. “A Escola fez adesão a Programas como a Escola do Campo Ciclada, a EJA Ensino Médio e o Mais Educação”, enumera. Talvez por isso os alunos formandos considerem, unanimemente, a escola uma família.  Também se fizeram presentes na formatura autoridades locais e a comunidade escolar.

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 Pofessores e monitores da 2ª CRE têm formação de Educação Física

 

Na última semana (7 e 8 de agosto) 80 monitores e professores do Programa Mais Educação receberam formação, na Escola de Aplicação Feevale, em Novo Hamburgo. A formação é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação de Novo Hamburgo e a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), contemplando 10 municípios de sua abrangência. 

A capacitação foi realizada pelo Ministério do Esporte, para as escolas que trabalham o macrocampo Esporte na Escola, do Programa Mais Educação. Entre as temáticas abordadas estão os procedimentos metodológicos, jogos e estruturas funcionais, planejamento de aulas e planos de ensino, gênero e inclusão. Para o assessor do esporte escolar da 2ª CRE, Francisco Carlos Lemes de Menezes, a formação foi muito positiva, pois trouxe, a partir de conceitos gerais do esporte na escola, insumos para planejamentos mais ricos e embasados.  Para Francisco, é possível, através do esporte, trabalhar  questões sociais e pessoais, quebrando algumas lógicas de competição e de exclusão, por exemplo.

Na mesa de abertura estavam a coordenadora da 2ª CRE, Marinês do Carmo de Pariz da Silva, o secretário de educação de Novo Hamburgo, Adelmar Carabajal, a representante do Ministério do Esporte, Lorena Villar, a representante da Secretaria de Educação do Estado, Vanice Melo.

 

 Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

2ª CRE entrega três mil assinaturas em prol da Univales

 

No último dia 08, o coordenador adjunto da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Paulo Taufer, entregou três mil assinaturas em prol da Univales. A entrega foi realizada no Sindicato dos Bancários de Novo Hamburgo, para o coordenador da Secretaria de Finanças, Patrimônio e Administração, Joey de Farias.

Ainda para agosto  há a previsão de um ato de entrega das assinaturas para o ministro da Educação, Henrique Paim. O movimento em prol da implantação de uma universidade federal que abranja os vales do Caí, do Sinos e do Paranhana conta com o apoio de movimentos sindicais, associações empresariais, movimentos sociais, a Escola Técnica Liberato Salzano, a 2ª Coordenadoria Regional de Educação e outras entidades da sociedade civil organizada.

A instalação de uma universidade federal nos vales é estratégica, considerando o potencial econômico, social e cultural da região e a ausência de uma instituição superior federal. A diretriz fundamental da universidade seria o Ensino, a Pesquisa, e a Extensão, atendendo três áreas do conhecimento: centro de tecnologias e engenharias, centro de formação de profissionais da educação e centro de formação de profissionais da saúde pública (médicos, enfermeiros e gestores de sistemas públicos de saúde).

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

Professores de Ensino Médio têm semana de formação intensa

 

Na Semana de Formação dos professores da rede estadual de ensino, os formadores regionais do Pacto pelo Ensino Médio, Paulo Taufer e Juliana Espinoza, fizeram uma rodada nas escolas de abrangência da 2ª Coordenadoria Regional de Educação. O foco da semana era completar a primeira etapa, completando 110 horas de formação para os 1.500 professores do Ensino Médio da regional. Os 98 professores orientadores de estudos organizaram a formação em cada uma das 82 escolas que ofertam o Ensino Médio e a 2ª CRE acompanhou os trabalhos em algumas delas.

No dia 18, todos os orientadores de estudos e os coordenadores pedagógicos das escolas com Ensino Médio se reuniram, no Colégio 25 de julho, em Novo Hamburgo, para fazer um resgate dos pressupostos teóricos da reestruturação do Ensino Médio no Rio Grande do Sul.

Os formadores da 2ª CRE participaram, no dia 21, do espaço de formação na Escola Paulo Freire, em São Sebastião do Caí e no Colégio Polisinos, em São Leopoldo. No dia 22, foi a vez do Instituto Madre Benícia, de Novo Hamburgo, da Escola 09 de Outubro, de Portão e da Escola São João Batista, de Montenegro. No dia 23, uma representação da 2ª região escolar ( Escola 08 de Setembro, de Estância Velha e  Escola Seno Ludwig, de Novo Hamburgo) participou do fechamento da primeira etapa do Pacto, juntamente com os institutos formadores: a Ufrgs, a Uergs e a Seduc. Na ocasião houve a exposição de práticas pedagógicas e de relatos da formação continuada.

De acordo com a formadora da 2ª CRE, Juliana Espinoza, as formações são marcadas por reflexões intensas e por apropriação teórica da proposta pelos professores. “Percebo que os professores estão com fome e com sede de fazer, de inovar e de fazer a diferença”, avalia. Juliana ainda comemora que o Rio Grande do Sul foi o único estado dos 22 pactuados que cumpriu a primeira etapa de formação do PACTO. 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

Merendeiras da 2ª CRE têm formação

Cerca de 400 merendeiras das escolas de abrangência da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) têm formação hoje (23), no auditório do Colégio Piu XII, em Novo Hamburgo.  Com a temática “Alimentação escolar e as mudanças no cotidiano escolar”, a formação conta com palestra das assessoras da alimentação escolar da Seduc, Fernanda Marques e Fernanda Maria da Silva, da nutricionista do Centro Colaborador em Nutrição Escolar (CECANE-Ufrgs),  Rafaela da Silveira e do psicólogo e professor Paulo Inocenti.

O público foi recepcionado com apresentações de canto e dança dos alunos do Programa Mais Educação da Escola Luiza Teixeira Laufer, de Novo Hamburgo. Os alunos, em pleno dia de férias escolares e com muita chuva, levantaram cedo para homenagear a figura importante da merendeira. Bárbara de Carvalho e Vinícius Modesto, da 8ª série, definem a merendeira como “aquela que pessoa que faz de tudo pela gente no dia a dia” que merece todo o reconhecimento. Isso é confirmado pela fala de Roneide dos Santos Antunes, da Escola Auri Beschorner, de Salvador do Sul, que trabalha há 30 anos preparando alimentos: “minha maior recompensa é saber que fiz parte da histórico nutricional de muitas crianças carentes”.Roneide ainda destaca a sua alegria em fazer parte desse dia de formação, pois, de acordo com ela, “reflete a valorização e o reconhecimento pelo nosso trabalho”.

A titular da 2ª CRE, Marinês do Carmo de Pariz, frisou, em sua saudação inicial, a importância da merendeira na escola: “é um papel pedagógico fundamental”. A assessora da alimentação escolar da 2ª CRE, Eliana Cardoso Vieira, fez menção especial ao papel da agricultura familiar como alavanca econômica e como uma política que incentiva a permanência dos agricultores. Participou também da organização da formação a assessora da CRE, Flora Silveira Bueno da Silva.

 Mais fotos 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

2ª Coordenadoria visita escola João Gräwer, em Dois Irmãos

Na manhã desta terça (22), a titular da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Marinês do Carmo de Pariz, e o fiscal de obras da CRE, Ricardo da Luz, realizaram uma visita à Escola João Gräwer Filho, em Dois Irmãos. A Escola tem recursos liberados para a e execução de reformas nos sanitários e há também a previsão de obras de ampliação do prédio. A Escola atende, atualmente, a 103 alunos, do 6º ao 9º ano, e tem 73 anos de existência, o que justifica a necessidade de reformas.

O cuidado e o capricho nas dependências da João Gräwer são evidentes: há preocupação com a limpeza e a estética em cada canto, como é o caso dos canteiros de flores e as árvores no pátio. Além disso, a Escola desenvolve um projeto de reciclagem de lixo em parceria com uma empresa local e recebe, em troca de materiais reutilizáveis, floreiras, bancos e lixeiras, todos feitos a partir de plástico reutilizado. “Os alunos se envolvem no projeto porque enxergam que o lixo pode trazer benefícios práticos e muito úteis no dia a dia”, explica a diretora Eunice Kretshmer Walcher. A Escola também tem uma horta, cuidadosamente cultivada pelos alunos e professores e que serve para enriquecer a alimentação escolar.

Durante a visita, o representante do Conselho Escolar, João Basílio Trindade, expressou todo o anseio da comunidade escolar por melhorias na estrutura física. Ele explica que a escola é uma referência importante para as famílias e para a comunidade e fala, com orgulho, na qualidade de ensino ofertada: “nossa escola teve o melhor IDEB das escolas estaduais do município”.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Mais fotos 

 

 

 

Coordenadora da 2ª CRE visita escolas na cidade de Feliz

Na última sexta (18) a coordenadora da 2ª CRE, Marinês Pariz, realizou visitas em duas escolas da cidade de Feliz: a Marquês do Herval e a Dóris Schlatter. Acostumada com o chão das escolas, Marinês busca conhecer as diferentes realidades, escutar as demandas das comunidades escolares e valorizar a caminhada de cada espaço. Ainda prestando assessoria às Escolas com Mais Educação, a coordenadora aproveita as visitas para ver o andamento do Programa.

As duas escolas visitadas atendem, quase na integralidade, os alunos no contratuturno. Na Escola Doris Schlatter, Marinês aproveitou para espiar a hora da soneca dos alunos. Logo após, com as energias recobradas, os alunos se encaminham para atividades de acompanhamento pedagógico e oficina de esportes. Na Escola Marquês do Herval, a coordenadora prestigiou a Feira da Economia Solidária, organizada pelos alunos com o intuito de explorar o potencial comercial dos produtos locais, provenientes, na sua maioria, da agricultura e do artesanato.

 

Desenvolvendo o espírito do cooperativismo

 Os alunos do 6º ao 9º ano da Escola Marquês do Herval desenvolvem, desde março, projeto de cooperativismo em parceria com o Banco Sicredi e a Emater: “a ideia é desenvolver o espírito cooperativista”, explica a diretora Mara Elisa Matté. Com aulas semanais desde abril, ministradas pela Federação de Cooperativas Escolares (Fecom), os alunos foram certificados e já montaram a sua própria cooperativa, a Cooperval. A presidente, Maria Carolina Zeni Dutra, aluna do 9º ano, explica que esta experiência está trazendo aprendizagens para a vida toda.

 Durante a Feira, os alunos realizaram pesquisa junto à comunidade para saber qual produto referência a Cooperval deveria desenvolver. Entre os itens estavam sabão caseiro, artesanato em biscuit, bolachas e cucas caseiras, sabonetes, filtro de sonhos e mandalas e bolachas ou cucas caseiras.  A orientadora da Cooperativa, professora Jaqueline Branbilla Tencate, explica que a Feira da Economia Solidária integra as atividades do Programa Mais Educação e envolve toda a comunidade escolar, promovendo integração entre as famílias e a escola.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

Escola Bernardo Petry comemora assinatura de obra

 

No último sábado (19) a comunidade de Vale Real teve comemoração em dose dupla. A única escola estadual do município, que atende a 550 alunos do ensino fundamental e médio, será beneficiada com uma quadra coberta. A notícia foi dada durante a celebração do Dia da Família, que envolveu 400 pessoas em um passeio ciclístico na comunidade. A assinatura da obra foi realizada na última sexta (18) e os trabalhos deverão iniciar na próxima semana. A quadra coberta terá 808 metros quadrados e o investimento será de R$ 514.458,00.

De acordo com o diretor, João Elberto Braum Colling, a obra é uma demanda antiga da Escola: “Estou na direção há 12 anos e brigo pela quadra desde o início”. A Escola não recebe obras há vinte anos: “a conquista da quadra coberta é extraordinária; agora os alunos não serão mais prejudicados nos dias de chuva”. Além das turmas regulares, a escola também atende seus alunos no contraturno, pelo Programa Mais Educação, tornando a necessidade da quadra coberta ainda mais latente.

O diretor também frisa a importância da vinda da coordenadora à Escola: “a comunidade se sente valorizada ao saber que suas demandas são do conhecimento da gestora; todos querem ser vistos e reconhecidos”.  Em sua fala, a coordenadora destaca os investimentos que as escolas vêm recebendo: “a Secretaria de Educação tem essa percepção de que a qualificação da educação passa pela adequação dos espaços físicos”. Além disso, lembra Marinês, a estética dos espaços educativos é fundamental para a aprendizagem e o bem estar dos alunos, professores e funcionários.

O evento contou também com a participação do prefeito municipal, Edson Kaspary, o presidente do CPM, Elói Assman e o presidente do Conselho Escolar, Luis Fernando John.  

 

 

 Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

2ª CRE: o Pacto do Ensino Médio em prosa e verso

 

Os professores das 82 escolas de Ensino Médio da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) expressaram todo o seu talento artístico para falar do Pacto, na reunião de avaliação da 1ª etapa, no último dia 15, em Bom Princípio. Uma das tarefas do encontro era a de elaborar uma apresentação artística em grupos sobre os resultados do Pacto do Ensino Médio. Os formadores da CRE, Paulo Taufer e Juliana Espinoza, ressaltam a criatividade das manifestações e destacam que os resultados já são palpáveis nas escolas. Juliana acredita que o movimento de mudança é um caminho sem volta: “os professores realmente acreditam na proposta e não aceitam mais retroceder”.

Veja abaixo a paródia da música Querência Amada, que já foi eleita pelos professores como o Hino do Pacto:

Clique na foto. (google docs)

 

 Jornalista responsável: Mariléia Sell 

 

 

 

  

Alunos da rede estadual viajam a Medellin, na Colômbia

 Thaís Nicole Ribas, Brenda de Lima Oliveira, Vanessa Souza dos Santos, alunas do Colégio Estadual Dr. Wolfram Metzler, de Novo Hamburgo (2ª Coordenadoria Regional de Educação – CRE), acompanhadas pelas professoras Elisabeth Maria Backes e Andréa da Cruz Bitzer, e os alunos Amanda Laís Broch, Andrei Scherer Pereira e Josi Gonçalves de Castro, da Escola Estadual de Educação Básica João Ferrarim de Soledade (25ª CRE), acompanhados pelos professores Simone Marci Bitencurt e Leomar Luís Schreiner, participam, nesta semana, em Medellín, na Colômbia, da 7ª MILSET Expo-Sciences Latinamerican (ESI-AMLAT). A feira começou na segunda-feira (14), e tem encerramento marcado para a próxima sexta-feira (18). A viagem e a participação dos alunos são subsidiadas integralmente pela Secretaria de estado da Educação (Seduc).

Os alunos levam ao país latino-americano projetos desenvolvidos no Ensino Médio Politécnico e que foram premiados em feiras científicas gaúchas (10ª MEP, 7ª FECITEP e 28ª MOSTRATEC), em 2013.

A MILSET é uma organização não governamental que tem por objetivo promover a pesquisa científica entre jovens estudantes e cientistas de diferentes continentes, promovendo socialização de ideias e conhecimentos do mundo científico. A ESI-AMLAT é considerada uma das maiores feiras latino-americanas de ciências, que credencia também para participação em outras feiras nacionais e internacionais.

2ª CRE
Thaís, Brenda e Vanessa apresentam na Colômbia o projeto “Crianças Institucionalizadas”, pesquisa do Ensino Médio Politécnico sobre crianças que vivem em instituições como abrigos, premiado na MEP, MOSTRATEC e FEBRACE em 2013.

25ª CRE
O projeto que credenciou os estudantes Amanda, Andrei e Josi abordou o tema “Alimentação Saudável na prevenção da obesidade infantil”, participante da MEP, FECITEP e MOSTRATEC no ano passado. O projeto também foi desenvolvido em turmas do Ensino Médio Politécnico.

 

 

Fonte: site da seduc

 

 

 

2ª CRE realiza reunião festiva de diretores

 

Nesta segunda (14) os 170 diretores das escolas estaduais de abrangência da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) tiveram reunião administrativo-pedagógica, no Espaço Grill, em São Leopoldo. O encontro culminou com um almoço festivo para comemorar a posse da nova coordenadora da 2ª CRE, Marinês do Carmo de Pariz da Silva, do coordenador-adjunto, Paulo Taufer e da chefe do setor pedagógico, Cleci Souza.

Na reunião, a chefe do setor de Recursos Humanos, Sirlei Cardoso Luz, e a chefe do setor administrativo, Ruth Kessler, deram orientações gerais sobre questões do cotidiano escolar. Houve também a apresentação da Escola Adelina da Cunha, de Parobé, que relatou a sua experiência com o Ensino Médio Politécnico.  Os próprios alunos explicaram aos diretores o passo a passo de suas pesquisas, o que, segundo a diretora da escola, Elizete Terezinha de Matos, demonstra o desenvolvimento da autonomia pelos estudantes: “eles se apropriaram do processo de ensino-aprendizagem”.

Em sua saudação, a coordenadora falou da necessidade de todos trabalharem unidos, pois, de acordo com ela, todos, independentemente de sua função, têm um papel fundamental para o sucesso da educação: “somos todos parte da mesma equipe e ninguém faz nada sozinho”, declara.  Os diretores aproveitaram o momento do almoço para parabenizar a coordenadora e entregar presentes. Marinês vinha respondendo pelo Programa Mais Educação na 2ª CRE e tem relação direta com as 89 escolas que aderiram ao Programa, o que explica as manifestações de carinho das equipes diretivas: “a Marinês é uma pessoa que valoriza e reconhece o trabalho de todos e isso é muito importante”, afirma a diretora da Escola 19 de Outubro, de Ivoti, Maria Estela Weber Herzer.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

11ª MEP encerra com chave de ouro em São Leopoldo

 

FOTOS:

Preparando a MEP - dia 09/072014

Solenidade de Abertura da 11ª MEP

Visitação da MEP - dia 09/07/2014

Visitação da MEP - dia 10/07/2014

Visitação da MEP - dia 11/07/2014

Encerramento e Premiação da 11ª MEP

Expositores

 

Encerramento e Premiação da 11ª MEP

 

A 11ª Mostra de Educação Profissional, Ensino Médio Politécnico e Curso Normal (MEP) culminou com a cerimônia de premiação dos melhores projetos em cada um dos eixos e modalidades, na última sexta-feira (11), no ginásio da Escola Municipal Irmão Weibert, em São Leopoldo.  Cada projeto foi avaliado por três avaliadores de diversas instituições da região. Os primeiros colocados ficam credenciados para participar da Feira Estadual de Ciência e Tecnologia das Escolas Profissionais (a FECITEP), que ocorrerá entre os dias 26 e 28 de agosto, em Porto Alegre. Os eixos com maior número de participantes credenciaram também os segundos lugares.

A aluna premiada Thais Nicole Ribas, da Escola Wolfran Metzler, de Novo Hamburgo, resume a sua alegria em participar deste evento de pesquisa: “nunca mais seremos as mesmas, porque a pesquisa nos transforma”. Integrante do grupo que realizou a pesquisa “Crianças Institucionalizadas”, ela tem motivos de sobra para comemorar: está de malas prontas para ir para a Colômbia apresentar o projeto. A pesquisa sobre crianças que vivem em instituições já rendeu outras premiações importantes, como é o caso da 1ª Mostra de Escolas do Ensino Médio Politécnico (MEMP), que ocorreu em junho deste ano, em Novo Hamburgo.

 

Confira os projetos vencedores:

Eixo Ambiente e Saúde

1º lugar- Pesquisa: Alternativa benéfica do processo de cromagem em saltos de sapatos para a vida do planeta em busca da sustentabilidade.

Escola: Escola Técnica Monteiro Lobato- Taquara (2ª CRE)

Alunos/as: Barbara Brodbeck Rosson, Julia Heloisa Istriving

 

Eixo Controle e Processos Industriais

1º lugar- Pesquisa: Otimização da síntese de biodiesel- Fase II

Escola: Escola Técnica São João Batista- Montenegro (2ª CRE)

Alunos/as: Rita Andriele de Souza Amaral, Tainá Bueno da Silva

 

2º lugar- Pesquisa: Aplicação de ligninas kraft no tratamento  de couro

Escola: Escola Técnica São João Batista- Montenegro (2ª CRE)

Alunos/as: Marina do Amaral, Vitor de Oliveira Sudbrack, Vitória de Lima Comparsi

 

Eixo Gestão e Negócios

1º lugar- Pesquisa: Chuveiro Pré-Pago

Escola: Colégio Estadual Augusto Meyer (27ª CRE)

Alunos/as: Patrícia Jachetti, Tainá Silva de Oliveira, Andressa Oliveira

Eixo Informação e Comunicação

 

1º lugar- Pesquisa: Inglês no dia a dia

Escola: Colégio 25 de Julho- Novo Hamburgo (2ª CRE)

Alunos/as: Alci Alexandre Junior, Dimitri Plocharski Gallas

 

Eixo Produção Industrial

1º lugar- Pesquisa: Reformulação de compostos microparticulados a partir de megastrobilos e acículas não modificadas de pinus elliott

Escola: Escola Técnica Monteiro Lobato- Taquara (2ª CRE)

Aluno: Guilherme Winter

 

Eixo Recursos Naturais

1º lugar- Pesquisa: Espiral de ervas alimentícias não convencionais

Escola: Escola Técnica Visconde de São Leopoldo- São Leopoldo (2ª CRE)

Alunos/as: Vinícius Venturini, Stefane Silva da Silva, Juliana Jaboinski Lima

 

Modalidade Ensino Médio Politécnico

1º lugar- Pesquisa: Crianças Institucionalizadas

Escola: Colégio Wolfran Metzler- Novo Hamburgo (2ª CRE)

Alunos/as: Brenda de Lima Oliveira, Vanessa Souza dos Santos, Thais Nicole Ribas

 

2º lugar- Pesquisa: Casa Ecológica: Nossa casa ecológica

Escola: Escola Senador Alberto Pasqualini- Novo Hamburgo (2ª CRE)

Alunos/as: Gustavo Soares do Carmo, Mauro Correa Junior, Andressa de Souza Bueno

 

Modalidade Curso Normal

1º lugar- Pesquisa: Atendimento na biblioteca infantil

Escola: Instituto Cristóvão Mendonça (4ª CRE)

Alunos/as: Graziela Ritter, Lisiane Pedroni

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 Em breve mais fotos : Expositores

 

Professores têm noite de formação durante a 11ª MEP 

 

Durante a 11ª Mostra de Educação Profissional, Ensino Médio Politécnico e Curso Normal (MEP) 50 professores das quatro coordenadorias regionais de educação (a 2ª, de São Leopoldo; a 4ª, de Caxias; a 16ª, de Bento Gonçalves e a 27ª, de Canoas) tiveram noite de formação.  A ideia da formação durante as Mostras surgiu da vontade de os professores compartilharem as suas experiências no processo de amadurecimento da reestruturação curricular do Ensino Médio.

No primeiro bloco, houve uma retomada teórica e metodológica do processo de implantação do Ensino Médio Politécnico nas escolas. No segundo bloco, duas escolas fizeram relatos de experiências e, por fim, houve espaço para perguntas e socializações.  A professora Mariléia Sell, da 2ª CRE, iniciou a formação trabalhando o vídeo da escritora nigeriana Chimamanda Adichie, “O perigo da história única”. Fazendo um paralelo com as histórias únicas, Mariléia problematizou os currículos únicos, aqueles que excluem as múltiplas narrativas da vida e do contexto das comunidades escolares. “A vida precisa ter lugar nas escolas e nos currículos”, frisa.

A professora Noemi Antônio Maria fez uma retomada do processo de implantação do Ensino Médio Politécnico e retomou os principais fundamentos da politecnia: a avaliação emancipatória, a formação integral, a pesquisa socioantropológica e a interdisciplinaridade. “A 2ª CRE têm 82 escolas de Ensino Médio e já visitamos cerca de 70 escolas para dialogar com os professores e assessorar as práticas pedagógicas”, ressalta Noemi.

As professoras da Escola Wolfran Metzler, de Novo Hamburgo, Elisabeth Backes e Andreia Roveré Franz, fizeram um relato de experiências. Elas detalharam como a politecnia acontece no dia a dia da escola, por meio do Seminário Integrado: “Dá muito trabalho, mas a satisfação que gera não tem preço”, reflete Andreia. E não é pouca a satisfação: um grupo de alunas está de malas prontas para apresentar a pesquisa sobre crianças que vivem em instituições, em Medellín, na Colômbia. Esta pesquisa já rendeu inúmeras premiações e a escola está cheia de planos para aprofundar e expandir cada vez mais a pesquisa.

A Escola Técnica de Taquara, o Cimol, também trouxe para a formação a sua caminhada com a pesquisa. Priscila Fabiane Kasper apresentou as inúmeras pesquisas que a escola já desenvolveu e que receberam premiações importantes, tanto no Brasil, quanto no exterior. Esse é o caso do aluno Guilherme Winter, que desenvolveu pesquisa a partir do pinus elliot. “Ele é um verdadeiro papa prêmios, já viajou para diversos lugares do mundo, recebeu várias bolsas de estudos e, o que é mais importante, evoluiu como ser humano e como pesquisador”, ressalta a professora. Essa é mais uma das vantagens das Mostras Científicas: os alunos desenvolvem habilidades de comunicação e de postura, o que é importante para a vida, destaca Kasper.

Para o mediador da formação, Paulo Taufer, estamos consolidando a pesquisa em nossas escolas e isso, de acordo com ele, inclui a construção da autonomia dos alunos e a geração de conhecimentos significativos, capazes de interferir na realidade das comunidades escolares. “A escola pública tem um potencial imenso e precisamos mudar a história única que temos sobre ela e sobre nós mesmos”, reflete.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

PRONATEC/2014

SENAI   Estância Velha

35 vagas Técnico em Curtimento de Couro

Obs: Se o nº de inscritos for maior  haverá  sorteio das vagas dia 16/07 – 10h

 

 

 

 

Cerimônia de Abertura da 11ª MEP ocorre em São Leopoldo

 

Nesta quarta (09) ocorreu a cerimônia de abertura da 11ª Mostra das Escolas de Educação Profissional, Ensino Médio Politécnico e Curso Normal, no auditório do Colégio São Luís, em São Leopoldo. A Mostra é organizada por quatro coordenadorias regionais de educação: a 2ª, de São Leopoldo, a 4ª, de Caxias do Sul, a 16ª, de Bento Gonçalves e a 27ª, de Canoas. O clima de festa foi intensificado pela apresentação do coral contagiante da Escola Alvino Weber, de Novo Hamburgo.

Os 50 trabalhos inscritos estão expostos no ginásio da Escola Municipal Irmão Weibert e concorrem à premiação em um dos oito eixos: controle e processos industriais; gestão e negócios; informação e comunicação; ambiente e saúde; produção industrial; recursos naturais; seminário integrado (do Ensino Médio Politécnico) e Curso normal. Os trabalhos vencedores desta edição da MEP recebem credenciamento para participar da Feira Estadual de Ciência e Tecnologia das Escolas Profissionais (a Fecitep), que ocorrerá em agosto, na cidade de Porto Alegre.

Em sua fala, a coordenadora da 2ª CRE, Marinês do Carmo de Pariz da Silva, ressaltou a importância do evento para a consolidação da cultura da pesquisa científica nas escolas. “A Mostra é uma vitrine, pois os alunos recebem prêmios e bolsas de estudos, além de terem a oportunidade de viajar e levar as suas pesquisas para outros estados do país e para vários países do mundo”.

A representante da Secretaria de Educação do Estado (Seduc) e coordenadora das Meps do Estado, Adriana Guimarães, falou dos investimentos do Estado na pesquisa. “Ampliamos a abrangência da Mostra também para o Ensino Médio Politécnico e para o Curso Normal”. Adriana também falou da política de fomento do Estado para a participação dos alunos e professores em Feiras nacionais e internacionais. Na mesa de autoridades estava também a coordenadora da 27ª CRE, Lucia Barcelos, representando as demais coordenadorias organizadoras da MEP, e a presidenta da comissão de educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Ana Affonso.

 

 Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

2ª CRE participa de Seminário sobre Linguagem Inclusiva

 

Na última quarta (02) a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) participou do Seminário “Formação de agentes públicos para Uso da Linguagem Inclusiva”. A iniciativa é da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) e da Rede Escola de Governo, que organizaram o evento na sede da Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH). O público alvo da formação foram as assessorias de comunicação, as assessorias administrativas e as chefias de gabinete de diferentes órgãos e secretarias do Estado.

Durante a manhã a painelista Terezinha Vergo, professora doutoranda em Ciências Políticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), trouxe uma abordagem mais ampla sobre as conquistas das mulheres ao longo da história, fazendo relação com os avanços na legislação, como é o caso da Lei Maria da Penha. A painelista Mariléia Sell, professora doutora em Linguística Aplicada pela Unisinos e assessora de Comunicação da 2ª CRE, apresentou, em coautoria com a professora do Programa de Pós Graduação em Linguística Aplicada da Unisinos, Ana Cristina Ostermann, uma panorâmica sobre o uso inclusivo da linguagem. Para Mariléia, a língua é a responsável pela fabricação constante do mundo, por isso é necessário que todos e todas se enxerguem nela, caso contrário, ela reforçará processos históricos de exclusão e de invisibilização de alguns grupos sociais, como é o caso das mulheres.

 À tarde, o grupo de 80 participantes pode se inscrever nas oficinas ministradas pela doutora em Comunicação, Sátira Machado, pela mestranda em Educação, Vanessa Gil e pela licenciada em Letras e Literatura de Língua Portuguesa, Telassim Levandowski.

Para a secretária de Políticas para as Mulheres, Ariane Leitão, o Estado do Rio Grande do Sul, ao construir uma lei que institui o uso inclusivo da linguagem nos documentos oficiais e nas placas, faz uma ação afirmativa de inclusão de gênero nos espaços de poder.  A diretora de Educação e Formação da FDRH, Necca Steffen, traduz isso, afirmando que “as mulheres querem ser vistas e faladas”.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 


 

Governo do Estado entrega instrumentos para orquestras escolares

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) inicia na segunda-feira (7) a entrega dos instrumentos para a composição de 51 orquestras em escolas da rede estadual de educação. Nesta quarta-feira (2), em ato realizado no Palácio Piratini com a presença do governador Tarso Genro, o titular da Seduc, Jose Clovis de Azevedo, confirmou o investimento de R$ 1 milhão do governo do Estado na ação, que qualifica espaços escolares, mas, mais do que isso, qualifica a formação de estudantes. Cada orquestra receberá 70 instrumentos. “Esta é uma ação inédita na rede estadual, que exigiu um processo licitatório de mais de dois anos”, enfatizou Azevedo, destacando que o maior investimento é nas pessoas. “A música é universal, constitui um campo interdisciplinar que certamente vai contribuir com a qualificação do processo de aprendizagem”, disse o secretário.

As palavras de Azevedo foram reiteradas pela diretora da Escola Estadual Emílio Tagliari, de Estação, que trouxe uma orquestra sinfônica para o ato no Palácio. “Nós parabenizamos o Governo do Estado, pois sabemos que a música é um elemento transformador na escola, que faz diferença no cotidiano de alunos e das escolas. Nosso Estado está ganhando com esta ação”, resumiu Eliana Pavinatto Schmidt. O estudante Davi Abdala, do 1º ano do Ensino Médio da Escola Estadual de Ensino Médio Vila Cruz de Malta, de Charqueadas, considera a iniciativa positiva. Ele toca guitarra e conta que esta é uma reivindicação antiga que está sendo atendida. A expectativa de Davi é de poder utilizar o instrumento já neste ano.

O governador Tarso Genro destinou sua fala a dois agradecimentos, ao magistério e às pessoas presentes à cerimônia. De acordo com o governador, somente a confiança que a categoria tem no governo é capaz de atos como o realizado nesta manhã. “Este é um momento importante que evidencia a visão de educação que acreditamos e temos buscado: para formar homens e mulheres livres, capazes de escolher seu destino diante de alternativas”, frisou.

Para Tarso, a composição das orquestras em escolas estaduais é um dos resultados da política implementada pelo governo estadual, que objetiva qualificar e valorizar a educação pública. Outro resultado apresentado no Palácio Piratini foram taxas de rendimento do Ensino Médio relativas a 2013, que reiteram o processo de retomada positiva de índices de aprovação a partir da reestruturação curricular que está implantada na rede estadual.

De acordo com o secretário Azevedo, entre 2011 e 2013, sistematicamente, os índices de aprovação vem crescendo e os de reprovação decrescendo na rede. Em relação a 2013, o titular da Seduc ressalta a diminuição nos índices de abandono. As taxas de aprovação de 2011 a 2013 foram, respectivamente, de 66,3%, 70,4% e 73,5%. A reprovação vem caindo. Em 2011, foram 22,3%; em 2012, 17,9% e, em 2013, de 16,4%. Em relação ao abandono, os números são de 11,4%, 11,7% e 10,1%.

Atualmente, mais de 500 escolas têm projetos voltados à música, com cerca de 300 bandas implantadas. Além das orquestras, a Seduc destinará professores de música para as escolas contempladas com o projeto. A ação é mais uma iniciativa em atendimento ao que prevê a Lei 11.769/08, que prevê a obrigatoriedade do conteúdo da música na educação básica. As escolas beneficiadas nesta etapa do Projeto Orquestras Estudantis foram selecionadas ou por terem projetos de música estruturados, ou têm bandas ou ainda têm ações relacionadas à música implementadas pelo Programa Mais Educação. A intenção da Seduc, explica a diretora do Departamento Pedagógico, Vera Amaro, é expandir a ação na rede.

Os instrumentos
As escolas receberão kits com piano eletrônico, violões, violinos, viola, violoncelo, contrabaixo elétrico, flautas doce soprano barrocas, flautas doce contralto barrocas, guitarras, amplificador de contrabaixo, amplificador de guitarra, bateria, estantes de partituras, escaletas, pandeiros, triângulos, ganza de platinela, bumbos com talabarte baqueta, taróis, reco-reco, microfone, pandeiros meia-lua e afinadores para instrumentos de cordas.

 

 

Fonte da notícia: site da seduc

 

Escolas contempladas da 2ª CRE

Instituto Est Madre Benícia - Novo Hamburgo

CE Ivo Buhler CIEP - Montenegro

EEEM Haydée de Mello Rostirolla - São Leopoldo

IEE Paulo Freire - São Sebastião do Caí

IEE Prof Nena CIEP - Sapiranga

EEEM Willybaldo Bernardo Samrsla - Taquara

 

 Mais fotos 

 

 

 

 

 

Jovem Aprendiz do Grupo Herval-Senac visita a João Gräwer

 

Na tarde do dia 11 de junho de 2014, nossa escola recebeu a visita do jovens que compõem o Projeto Jovem Aprendiz do Grupo Herval, em parceria com o Senac-NH.

Os jovens dividiram-se em grupos, e em cada sala, desenvolveram uma proposta diferente. Cantaram músicas, acompanhado por violões; plantaram árvores com a ajuda de nossos alunos, e ao final, ensaiaram a música com todos e fizeram um belo encerramento no pátio.

A energia e a disposição destes jovens contagiaram nosso ambiente, deixando-o mais alegre.

 

O que é o Jovem Aprendiz?

 

O Programa Jovem Aprendiz, que faz parte do Programa Senac de Gratuidade (PSG), oferece os Cursos de Aprendizagem que são legislados pela Lei 10.097/2000 e regulamentados pelo Decreto nº 5598 de 1º de dezembro de 2005. É necessário que a empresa indique o jovem com idade entre 14 e 24 anos, que esteja cursando o Ensino Fundamental (a partir da 6ª série), Ensino Médio ou selecioná-lo a partir do cadastro de inscritos no Senac.

O objetivo dos Cursos de Aprendizagem é capacitar o jovem contratado pelas empresas, por meio do desenvolvimento de competências, para a inserção no mundo do trabalho. Os cursos possuem carga horária de 1000 a 1200 horas, divididas igualmente em:

- Aulas de atividades no Senac: desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes básicas para formação e ocupação;

- Prática supervisionada em empresas parceiras: aliando teoria à prática e oportunizando ao jovem valorização como pessoa e como cidadão.

Quer mais informações?

Então, acesse o link abaixo:

http://portal.senacrs.com.br/site/psg_aprendizagem_aprendiz.asp 

 

 

 Fonte: Colaboração da escola

 

 

 

 

Afinal! Depende de quem?

 

No dia 24 de junho, nos turnos da manhã e da tarde, a Companhia de Teatro Curto Arte, de Dois Irmãos, apresentou-se na Escola João Gräwer Filho a peça teatral: Afinal! Depende de quem?

Em parceria com o CONSEMA (Conselho do Meio Ambiente) e Secretaria Municipal de Educação, a Curto Arte abordou na peça temáticas como: motivação, companheirismo, meio ambiente, lixo, água, esgoto e drenagem urbana.

A peça apresenta três palhaços, que após o circo fechar, decidem morar na carrocinha de palhaço. Eles só não esperavam que conviver com costumes e manias diferentes não seria fácil. Leleco é preguiçoso, mas inteligente. Tijuca deixa a carrocinha suja, mas é mestre na cozinha. E Amadeu tenta convencer seus amigos a cuidar do novo lar. 

 

 Fonte: Colaboração da escola

 

 

 

 

 

 

 

 II Campeonato Estudantil do Rio Grande do Sul (PARACERGS)

Inscrições: 01 Julho a 01 de Agosto

Mais informações no site da  FUNDERGS

 

 

 

2ª CRE visita escolas em Capela e Portão

 

 

 

Nesta terça (24) a coordenadora da 2ª CRE, Marinês Pariz, e a assessora pedagógica, Andreia Prestes, visitaram escolas em Capela de Santana e em Portão. O objetivo das visitas é conhecer a realidade de cada instituição e descentralizar os atendimentos. Assim, durante as visitas, as escolas expõem sua caminhada e apresentam seus avanços e suas dificuldades.

Na primeira escola do itinerário, a Almeida Ramos, de Capela, a diretora Adelaide Alves da Silva, mostrou as novas instalações. Os 593 alunos da escola estão sendo atendidos, temporariamente, no Centro Estadual de Educação Profissional Visconde de São Leopoldo (unidade de Capela), pois o prédio passa por uma reforma estrutural. Em conversa com professores e funcionários, Marinês explica a necessidade de recuperar as estruturas físicas das escolas: “a Seduc assumiu esse compromisso, porque a qualidade na educação também passa pelas estruturas físicas”.

Nas escolas de Portão: Adolfo Gustavo Krummenauer, Pedro Schüler e Portão velho, as equipes diretivas também mostraram as instalações físicas e comemoraram avanços como, por exemplo, os recursos recebidos pelo Programa Mais Educação. A diretora da Escola Pedro Schüler, Maria Soledad Rodrigues, repaginou totalmente a escola: “os recursos do Mais Educação melhoram a escola como um todo, todos os alunos se beneficiam”, diz Soledad.

Na Escola Portão Velho, a coordenadora do Programa Mais Educação, Deise dos Passos, também mostrou as melhorias oriundas do Programa, como as paredes grafitadas pelos alunos e a horta escolar. “A participação dos alunos fez com que eles passassem a cuidar do ambiente, zelar por ele”, destaca Deise.  A Escola também está em fase de implantação da Rádio Escolar Portão Velho e, conforme Deise, os alunos estão muito ansiosos para participar.

A satisfação das escolas pela visita da coordenadoria ficava evidente. De acordo com a orientadora educacional da Escola Krummenauer, Raquel Nunes da Cruz, “é importante sentir que a CRE e as escolas são uma coisa só e que todas as instâncias estão trabalhando pelo mesmo objetivo”. Para Marinês, acostumada a participar ativamente da vida das escolas através da coordenação do Programa Mais Educação, “o chão da escola nos dá as respostas e nos alimenta enquanto gestores e gestoras da educação”.

 

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Mais fotos 

 

 

 

 

 

RUMO À COPA DO MUNDO 2014

 

ALUNOS CONFECCIONANDO ENFEITES PARA A ESCOLA

Mais Fotos 

 

Fonte: Colaboração da ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO PASTOR HEINRICH HUNSCHE

 

 

 

 

2ª CRE realiza a 1ª Mostra do Ensino Médio Politécnico

 

 Na última sexta (13) a 2ª CRE realizou a 1ª Mostra do Ensino Médio Politécnico (MEMP), no Ginásio da Escola Estadual Osvaldo Aranha, em Novo Hamburgo. A Mostra reuniu 22 escolas de 16 municípios da região de abrangência da 2ª região escolar. Concorreram 45 trabalhos desenvolvidos no Seminário Integrado do Ensino Médio Politécnico. Os seis trabalhos classificados receberão credenciais para participar da 11ª MEP, que ocorrerá nos dias 09, 10 e 11 de junho deste ano. Cada trabalho foi avaliado por três professores, representantes de diversas instituições de ensino: Feevale, Unisinos, Liberato, PVSinos, IF Farroupilha, Seduc, Escolas Técnicas Estaduais e Escolas de Ensino Médio Politécnico.

A Mostra foi idealizada pelos assessores do Ensino Médio Politécnico da 2ª CRE (Paulo Taufer, Noemi Antônio Maria e Juliana Espinoza), para destacar os trabalhos que as escolas desenvolvem dentro da proposta da politecnia. De acordo com a coordenadora da 2ª CRE, Marinês Pariz, a Mostra é mais um passo para “criar uma cultura de pesquisa e de produção do conhecimento nas nossas escolas”. Os projetos de pesquisa pretendem responder a questões do cotidiano dos alunos e das comunidades escolares. A partir de uma situação problema são acionados todos os conhecimentos para resolvê-la, promovendo, dessa forma, um ensino contextualizado e com maior significado, explica a coordenadora.

Dialogar com a vida foi a proposta, por exemplo, dos alunos Djenifer Djuliene Weiand, Marciele Petry, Shelley Borges da Silva e Victor Galvão Carecho, da Escola Mathias Schutz, que desenvolveram uma pesquisa em asilos. Além de conversarem com os idosos e registrarem as suas narrativas em áudio, o grupo apresenta uma proposta de intervenção na realidade. Trata-se um projeto de apadrinhamento, chamado “Adote um vô”. “Todos nós envelheceremos e tanto os jovens quanto os idosos têm coisas importantes a aprender uns com os outros”, concluem os cientistas.

 

Confira abaixo os trabalhos classificados:

 

1º - CRIANÇAS INSTITUCIONALIZADASColégio Estadual Dr. Wolfram Metzler

2º - EM BUSCA DA PAZ NO TRÂNSITO - E.E. de Ensino Médio Emílio Sander

3º - CÂNCER DE MAMA – PORQUE ELE VEM AUMENTANDO CADA VEZ MAIS ENTRE A POPULAÇÃO BRASILEIRA - Colégio Estadual Cônego Afonso Scherer

4º - BALNEABILIDADE DO RIO CADEIA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DO HERVAL- Colégio Estadual Cônego Afonso Scherer

5º - CASA ECOLÓGICA: “NOSSA CASA ECO” - Colégio Estadual Senador Alberto Pasqualini

6º - PARQUES EÓLICOS: UMA FONTE DE ENERGIA SUSTENTÁVEL - Colégio Estadual Dr. Wolfram Metzler

1º SUPLENTE - RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM DUAS AMOSTRAS DE SOLO CULTIVADAS EM DIFERENTES ÉPOCAS NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DO HERVAL - Colégio Estadual Cônego Afonso Scherer

 

 

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Mais fotos

 

PARTICIPAÇÃO DA E.E.E.M. PASTOR HEINRICH HUNSCHE na MEMP  

Colaboração da escola 

 

 

 

Assume nova coordenadora na 2ª CRE

 

O secretário de estado da educação, Jose Clovis de Azevedo, deu posse hoje (10) à nova coordenadora da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), a professora Marinês do Carmo de Pariz da Silva. A cerimônia aconteceu na sala de reuniões da CRE e contou com a presença dos profissionais da CRE e de representantes da Seduc.

Marinês é pedagoga e especialista em educação de tempo integral, contabilizando 34 anos de experiência no magistério. Ela representa o Rio Grande do Sul no GT nacional Escola de Comitês, que assessora os comitês territoriais de educação integral. Desde 2005 atua no comitê metropolitano de Educação Integral e trabalha com os programas sociais Escola Aberta e Mais Educação.  Marinês, em seu discurso de posse, reforçou a importância do trabalho em equipe: “a 2ª CRE tem um grande time de profissionais e o projeto depende do esforço de cada um”.  De acordo com a nova coordenadora, o grande desafio é continuar o trabalho e promover os avanços necessários para que o projeto de uma educação que garanta o ingresso a permanência e a aprendizagem dos alunos se efetive.

A ex-coordenadora, Rosana Chinazzo, assumirá uma função na Seduc, ligada à Casa Civil, e ressaltou, em sua despedida, que a passagem pela 2ª CRE foi marcada por muitas aprendizagens. “Só tenho a agradecer pelas muitas oportunidades que tenho recebido na vida”.

Estiverem presentes na cerimônia de posse a deputada estadual Ana Affonso e as ex-coordenadoras da 2ª CRE, Maria Luiza da Cunha Sedrez e Rosana Santos.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Mais fotos na galeria de fotos.

 

 

 

 Palestra sobre violência sexual contra Criança e Adolescente sob uma perspectiva interdisciplinar

 

 

Em alusão ao 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra a Criança e o Adolescente, a Rede Municipal de Enfrentamento à Violência Doméstica e Sexual contra Criança e Adolescente de São Leopoldo promoveu, nesta terça-feira, 20, encontro com o poder público e a sociedade civil para debater o tema e buscar ações de enfrentamento e prevenção.

A 10ª edição do evento, ocorrido no Auditório do Colégio São Luis, em São Leopoldo, contou com a participação da professora e linguista, Mariléia Sell, da procuradora de Justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude, Educação, Família e Sucessões, Maria Regina Fay de Azambuja, da Promotora de Justiça Mara Cristiane Job Beck Pedro e do escritor Jorge Luís Martins.

Na abertura dos trabalhos, a Promotora de Justiça ressaltou a importância da qualificação dos integrantes da Rede para a atuação não só no trabalho de atendimento como também no de prevenção de casos de abuso e violência sexual. “Trabalhamos para que o tema, que é doloroso para nós, adultos, seja menos para as crianças e adolescentes”.

 

Para Mariléia, que defendeu sua tese de doutorado sobre as narrativas de crianças vítimas de abuso sexual, no Programa de Linguística Aplicada da Unisinos, as crianças precisam ter a sua experiência validada através das narrativas. “Os adultos que representam nossas instituições de proteção à infância, normalmente impõem roteiros de significação para a experiência do abuso, retirando da criança a chance de significá-la de forma única e singular. Essa postura adultocêntrica e voltada às narrativas socialmente ratificadas, ocasiona o sentimento de inadequação e, muitas vezes, aprofunda a sensação de trauma nas crianças”. A professora ressalta a complexidade do fenômeno do abuso sexual e a importância do olhar interdisciplinar para uma compreensão mais profunda. Para isso, ela insiste na importância da capacitação dos profissionais ligados à rede de proteção à infância e à adolescência.

 


Na mesma linha, discorrendo sobre o tema “O olhar da Justiça nos casos de violência sexual contra Criança e Adolescente”, Maria Regina Azambuja ressaltou que o trabalho com situações de violência sexual de crianças e adolescentes exige capacitação permanente dos diversos profissionais envolvidos. A procuradora destaca os avanços na área legal, mas frisa que a efetivação do Estatuto da Criança e do Adolescente passa pelas práticas de todos os profissionais responsáveis pela proteção e prevenção contra a violência sexual.

O Escritor Jorge Luís Martins participou do evento dando um depoimento sobre a sua história de vida, de menino de rua a administrador de empresas, com pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Infantil. Seus livros mais conhecidos “Meu nome é Jorge”, “O menino da caixa de sapatos” e “O menino e seu segredo” são narrativas que resgatam e ressignificam a sua experiência de vida.

 

 

 

 

 

Confira o Blog da Profª Cíntia Maciel da EEEM Emilio Sander - Várias dicas e registros de como trabalhar na disciplina  Seminário Integrado.    

 

 

 

 Escola Técnica Estadual 31 de Janeiro, de Campo Bom, tem filme selecionado para a Mostra Nacional do V Festival Internacional Estudantil de Cinema de Barra do Piraí. O filme Hormônios Apaixonados II, projeto do Prof. Marlon Nunes ficou entre os dez selecionados para final que acontecerá entre 02 e 07 de Junho de 2014.

 

 Veja mais  

 

Fonte: Colaboração da escola

 

 

 

 Seduc entrega ônibus para Escola Visconde de São Leopoldo

Aconteceu na manhã desta quinta-feira (22) a entrega de um ônibus para o Centro Estadual de Educação Profissional Visconde de São Leopoldo. A instituição que atende 210 alunos com cursos técnicos em agropecuária e técnico em florestas está localizada no bairro Feitoria Velha, em São Leopoldo. O secretário de Estado da Educação, Jose Clovis de Azevedo, entregou as chaves do veículo, no valor de R$ 150 mil, para o diretor Oldemar Kolling.

Em seu pronunciamento, Azevedo informou que a escola também já foi contemplada em 2013 com um trator (R$ 73 mil) e uma enxada rotativa (R$ 15 mil), além de um investimento de R$ 44 mil para a estufa do projeto de agroecologia na produção de mudas orgânicas. O secretário também disse estar orgulho dos alunos da escola que em breve irão participar de uma Feira Internacional no Peru para apresentação de uma pesquisa sobre plantas alimentícias não convencionais. Sobre o ônibus desejou que o veículo contribua na relação da escola com a comunidade regional. “Nosso objetivo é de que a Escola Visconde de São Leopoldo seja um referência para o Vale dos Sinos e para o Vale do Caí”, disse ao falar sobre a construção de um novo prédio que será erguido com recursos do Ministério da Educação (MEC).

O diretor Kolling disse estar emocionado com o momento porque este ônibus é mais uma ação que comprova a “reviravolta” das escolas agrícolas. “Eu tenho 36 anos de escola agrícola e achei que as coisas não iam acontecer, mas começaram a acontecer”, disse. O diretor relatou as melhorias da escola após a aquisição pela atual gestão dos equipamentos como encantadeiras, semeadeiras, ordenhadeiras e equipamentos de laboratórios. “Obrigada secretário Jose Clovis e seja sempre parceiro das escolas agrícolas”, finalizou.

Além dos pais, alunos e professores presentes no ato a coordenadora da 2ª Coordenadoria Regional de Educação, Rozana Chinazzo, a presidente do Conselho Escolar, professora Livete Guntzel e lideranças locais.

 

Fonte: site da seduc

 Mais fotos na galeria de fotos 2014

 Dia da Família na escola.

 

 A ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO PASTOR HEINRICH HUNSCHE  aproveitou a data para reunir pais, alunos, professores e demais membros da comunidade num  bonito evento festivo.  Houve apresentação de todas as turmas, mensagens religiosas, atividades de recreação e almoço de confraternização. (17/05/2014)

Veja mais fotos 

 

Fonte: Colaboração da escola

 

 

 

 

 

Circuito Escolar de Xadrez

 

 

1. DATA: 31/08/2013

2. LOCAL: Rua Vigário José Inácio, 263, 3º and. P. Alegre

 

Mais Informações: https://docs.google.com/file/d/0B4BaIDd78gmJMUxwSGs3Y2hGVFE/edit?usp=sharing

 

 

 

 Chá Cultural na E.E. de Ensino Médio Berthalina Kirsch

 

Chá cultural, realizado em 17/05/2014 em comemoração ao aniversário da escola (36 anos) e dia das mães: apresentações musicais no dia do chá feita pelo aluno Edson Cegatto, e no teclado Maria Luiza dos Santos filha da professora Karine, exposição de fotos feitas pelos alunos (aula de arte) com o título "Berthalina em foco".

Mais fotos 

 

Fonte: Colaboração da escola

 

 

 

Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato recebe premiação internacional

 

Assista ao vídeo 

 

 

  

2ª CRE participa de cerimônia de apresentação do Projeto O Rio dos Sinos é Nosso

 

 

         Na manhã de ontem (15), parceiros do Programa O Rio dos Sinos é Nosso se reuniram no Hotel Union, em Novo Hamburgo, para começar os preparativos para a edição de 2014. Daqui a duas semanas, alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental da rede pública e privada de ensino podem inscrever projetos para a competição. O Programa acontece há oito anos e foi idealizado pelo Grupo Sinos, contando com o apoio de entidades e empresas.

Na reunião, o diretor de Relações com a Comunidade do Grupo Sinos, Miguel Schmitz apresentou um retrospecto do Programa, destacando a sua abrangência e o seu impacto em 21 municípios da bacia do Rio dos Sinos. A novidade deste ano será a participação de alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental, “não para competir, mas para aprender”, destaca Schmitz.

 Para preparar os interessados em participar da competição, o Grupo Sinos está realizando workshops sobre o meio ambiente, nos meses de maio e junho. No dia do Meio Ambiente, 5 de junho, iniciam as inscrições (por e mail) para a competição. As inscrições terminam no dia 15 de agosto e o prazo para a submissão dos planos de ação é 29 de setembro. No período de 3 a 17 de outubro uma equipe preliminar de avaliadores selecionará as 10 melhores propostas. De 21 a 31 de outubro uma equipe final selecionará os três melhores projetos, que serão premiados em solenidade especial no dia 17 de novembro.

Para a coordenadora da 2ª CRE, Rosana Chinazzo, é importante que as escolas se integrem no Programa para aprofundar e amadurecer a educação ambiental. “Precisamos evoluir ainda no que se refere ao cuidado com o meio ambiente e isso passa necessariamente pela educação”, acredita.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

Minha turma de Professoras Alfabetizadoras do Pacto Sapiranga. Já tenho muita fé no grupo, 2014 promete!

 

Colaboração:  Prof. Odete Hahn - Coordenadora do Eja da 2ª CRE    

 

 

Encontros de Formações - dia 08/05/2014 - Fotos

 Municípios participantes: Igrejinha, Taquara, Sapiranga, Nova Hartz, Campo Bom

 

Próximos Encontros de Formação - 2014

 

15/05/2014

hora: 9h - 16h

Local: EEE ALVINO WEBER

Municípios: Novo Hamburgo, Portão e Estância Velha.

 

22/05/2014

hora: 9h - 16h

Local: EEEM SÃO SALVADOR

Municípios: Salvador do Sul, São Pedro da Serra, São Sebastião do Caí, Barão, Vale Real, Bom Princípio, Feliz, Capela de Santana

 

23/05/2014

hora: 9h - 16h

Local: EEEF CALDRE FIÃO

Município: São Leopoldo

 

05/06/2014

hora: 9h - 16h

Local: EEEM ERNI OSCAR FAUTH
Municípios: Brochier, Montenegro, São José do Sul e Poço das Antas.

 

Colaboração: Marines Pariz - Coordenadora da Escola de Tempo Integral

 

 

 

 

 

 

 

Fabrício Carpinejar faz palestra sobre bullying para alunos da 2ª CRE

 

 

Cerca de 200 alunos e professores das cidades de Montenegro, São Leopoldo e Novo Hamburgo, de abrangência da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), participaram, neta segunda (28), de palestra sobre bullying. O jornalista e escritor Fabrício Carpinejar palestrou para ensinar a comunidade escolar a “desarticular preconceitos”, sempre através do bom humor e da inteligência, como gosta de frisar. Carpinejar publicou recentemente o livro Filhote de Cruz Credo, em que traz a sua experiência pessoal com o bullying: “eu era vítima de bullying na escola e todas as semanas eu recebia um apelido novo”, conta.

Em tom descontraído e com uma plateia atenta, Fabrício foi mostrando como se defender de brincadeiras maldosas “tirando a piada” dos agressores. Um dos principais argumentos do palestrante é o de que aqueles que são alvos de brincadeiras ofensivas não devem se colocar na posição de vítimas. “Qual é a graça de uma brincadeira maldosa se não há uma vítima”? De forma prática, explicou como reagiu ao apelido “cara de panqueca”, um dos muitos que recebera na escola. “Olhei para a colega e disse: sim sou cara de panqueca. Quer me comer agora”? Com a teoria de que a linguagem é uma arte marcial, o jornalista acredita que ninguém pode afetar a nossa honra com apelidos pejorativos: “nossa honra é o nosso senso de humor”. As alunas Vanessa Alves Lemos e Juliane Medeiros da Silva, da Escola Ayrton Senna do Brasil, de Novo Hamburgo, entenderam o recado: “agora nos defenderemos sem revidar com violência”.

Em casos mais graves, em que há agressões físicas, é necessário pedir ajuda e acionar os professores, a equipe diretiva e os pais. A posição de observadores privilegiados coloca os professores na responsabilidade de identificar as situações de bullying na sala de aula e de tomar providências: “não há como não comprar essa briga e fingir que não viu”, alerta Fabrício. O mesmo se aplica quando a violência acontece no bairro, porque “é impossível pensar a escola sem a comunidade: a escola é uma política comunitária”, enfatiza. A diretora da Escola João Ribeiro, de Novo Hamburgo, Angelita Nogy, concorda com essa noção de que a escola e a comunidade são, na verdade, uma coisa só: “nossa escola encontrou maneiras conjuntas de trabalhar a violência e o nosso segredo para mediar conflitos é o diálogo”.

A palestra sobre bullying é uma das ações do Projeto Educar Sem Discriminar, da Secretaria de Educação do Estado e da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e tem como objetivo desenvolver ações de prevenção e formação para a construção de ambientes sem discriminação.  A mesma palestra acontecerá em todas as 30 coordenadorias de educação do Estado. O evento contou também com a presença da coordenadora da 2ª CRE, Rosana Chinazzo, da diretora da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), Eliene Amorim, e do representante das questões de gênero e homofobia da SJDH, Fábulo Nascimento.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

2ª CRE está engajada no movimento de criação de Universidade Federal

 

O movimento em prol da implantação de uma universidade federal que abranja os vales do Caí, do Sinos e do Paranhana soma diversos atores. Dentre eles, os movimentos sindicais, as associações empresariais, os movimentos sociais, a Escola Técnica Liberato Salzano, a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) e outras entidades da sociedade civil organizada.

A 2ª CRE se responsabilizou em coletar assinaturas e, para isso, remeteu formulários de abaixo assinado para as 171 escolas de sua abrangência. A ideia é conseguir 60 mil assinaturas até junho deste ano, para angariar visibilidade e volume para o movimento, tornando-o “pauta da agenda política nas próximas eleições”, de acordo com o assessor pedagógico da 2ª CRE, Paulo Taufer.

A instalação de uma universidade federal nos vales é estratégica, considerando o potencial econômico, social e cultural da região e a ausência de uma instituição superior federal. A diretriz fundamental da universidade seria o Ensino, a Pesquisa e a Extensão, atendendo três áreas do conhecimento: centro de tecnologias e engenharias, centro de formação de profissionais da educação e centro de formação de profissionais da saúde pública (médicos, enfermeiros e gestores de sistemas públicos de saúde).

As listas de assinaturas devem ser entregues na 2ª CRE, para os interlocutores Paulo Taufer, Márcia Assis e Noemi Maria Antônio. A 2ª CRE reforça a legitimidade do movimento e solicita que todas as escolas acolham a tarefa de se engajarem na coleta de assinaturas, bem como na recepção de interlocutores do movimento.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

  

Professores da 2ª CRE têm formação sobre o Pacto do Ensino Médio

 

Ontem e hoje (15 e 16) os 97 formadores do Pacto do Ensino Médio das Escolas da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) estão reunidos para discutir a reestruturação curricular, no auditório do Colégio Frederico Schmidt, em São Leopoldo. Trata-se da segunda etapa de formação para aprofundar aspectos conceituais do Pacto, como a gestão democrática, a formação integral, a interdisciplinaridade, a avaliação emancipatória, a questão histórica do Ensino Médio e as juventudes. Nas palavras da professora Luciele Pioly, do Colégio João Mosmann, de Parobé, esses conceitos permitem ao professor estabelecer relações com a vida dos alunos, “de maneira sistêmica, global e integral”.

Os seis cadernos sobre o Pacto, elaborados pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), serviram de subsídio para a dinâmica da formação. Os formadores participaram de debates em pequenos e grandes grupos, oficinas e trabalho de planejamento da formação, que deverá acontecer em cada uma das 80 escolas de Ensino Médio da 2ª CRE. Cada formador assumirá o papel de multiplicador em suas escolas e será responsável por organizar espaços de formação, que somarão, até o final de julho, 100 horas de estudos (50 presenciais e 50 à distância). A formação oferecida será monitorada pelo próprio MEC, pela Secretaria de Educação do Estado (Seduc) e pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

De acordo com os formadores regionais do Pacto pela 2ª CRE, Juliana Espinoza Souza e Paulo Taufer, os estudos estão sendo muito produtivos. “Assumimos um contrato e todos estão cientes de que não se trata de uma ação isolada, mas da reestruturação curricular do Ensino Médio no Brasil”, afirma Juliana. Paulo esclarece ainda que todos os formadores das escolas estão saindo da formação com a clareza sobre o seu papel pedagógico nesse processo.

 O professor Fabrício Colombo, da Escola Haydee Mello Rostirolla, de São Leopoldo, acredita que essa formação promova uma mudança na maneira de os professores darem aula: “espero que a escola deixe de ser um lugar de reprodução do conhecimento e assuma o seu lugar de criadora de conhecimento”. Fabrício acredita que somente com essa mudança de paradigma é que a escola formará cidadãos. As formações do Pacto ocorrem dentro das horas atividade dos professores e cada professor de Ensino Médio receberá uma bolsa mensal de R$ 200,00. Os formadores responsáveis pela multiplicação em suas escolas recebem uma bolsa de R$ 765,00.

 Veja mais fotos na galeria de fotos.

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell 

 

 

 

 

Escolas estaduais de Novo Hamburgo recebem formação para mediar conflitos

 

Nos dias 14 e 15, oito escolas estaduais de Novo Hamburgo, pertencentes à 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) receberam formação para aprender a mediar conflitos, no auditório do Colégio 25 de Julho.  Representantes de pais, alunos e professores refletiram sobre os tipos de conflitos que podem ser mediados e sobre quais os procedimentos adequados no processo de mediação. O representante dos comitês comunitários de prevenção à violência nas escolas (Copreves) da Secretaria de Educação do estado (Seduc), Eduardo Pazinato, propôs uma série de dinâmicas de trocas de ideias e de experiências, dramatizações e discussões sobre questões práticas do cotidiano escolar. Conflitos entre alunos, professores e familiares são questões que podem ser abordadas pelos copreves. Conflitos que configuram atos infracionais não são da pertinência dos comitês e devem ser encaminhados ao Conselho Tutelar ou à Brigada Militar, dependendo da situação.  

Eduardo falou da necessidade de construirmos uma cultura de paz e de não fazermos apologia à violência, através de postagens de agressões em redes sociais, por exemplo. Dentre os encaminhamentos tirados da formação estão a realização de reuniões bimestrais itinerantes, com o intuito de trocar experiências entre as escolas para que intervenções exitosas sejam multiplicadas e também para que os agentes se fortaleçam. A primeira escola a sediar o encontro será a Boa Saúde, que recentemente foi pautada pela mídia por questões de violência no entorno escolar. Além disso, as escolas criarão uma página no facebook para terem um canal direto de comunicação e de ajuda mútua. Promover palestras e debates também ficou entre os compromissos assumidos pelos participantes.

De acordo com a supervisora da 2ª Coordenadoria Regional de Educação, responsável pelas escolas de Novo Hamburgo, Andreia Dalpiaz Prestes, a formação superou todas as expectativas, pois “foi bem prática e conseguiu instrumentalizar as pessoas para agir”. Andreia ressalta que os adolescentes participaram e se envolveram nas discussões: “eles se expuseram, expressaram suas formas de enxergar a violência e se comprometeram a formar os Copreves nas suas escolas. Eles querem ser a semente de mudança”.

As escolas que participaram foram: 25 de Julho; Seno Ludwig, Madre Benícia, Antônio Conselheiro, Santo Afonso, Boa Saúde, Maurício Sirotsky, Vila Becker.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

Alunos do Programa Brasil Alfabetizado da 2ª CRE realizam feira de artesanato

 

Um colorido diferente chamou a atenção do público que passa pelo pátio da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) nesta terça (15). Trata-se de uma exposição de artesanato, organizada pelos alunos e professores do Programa Brasil Alfabetizado (PBA) de São Leopoldo e de Taquara. São em torno de 80 alunos, organizados em turmas de institutos penais, associações de bairros, CTGs e aldeias indígenas.

A exposição, de acordo com a coordenadora do PBA da 2ª CRE, Láusea Verônica Hörbe, é uma iniciativa que busca dar visibilidade aos diferentes saberes que os alunos têm e trocam entre si nos grupos. A professora Liliana Lopes, de Taquara, enfatiza a importância de adaptar as práticas pedagógicas, porque os alunos já têm muitas vivências e muitos conhecimentos. Liliana explica que aproveita os conhecimentos dos alunos para desenvolver projetos, como é o caso das ervas medicinais. Na turma de alfabetização do instituto penal de Taquara, os 15 alunos, entre 24 e 64 anos de idade, criaram um alfabeto de ervas e, conforme a professora, isso foi significativo para eles porque o conteúdo esteve ligado à vida.

Para as alunas Elizete Mendes Dolores (41) e Ângela Margarete de Almeida (44), o PBA é uma oportunidade de aprendizado, pois ambas não tiveram a chance de estudar na infância. Elizete descreve a sua alegria por ter aprendido a escrever: “meu sonho era ler e cantar os hinos da igreja”, diz. Já Ângela comemora a sua aprendizagem mais recente: “eu não era boa em matemática e não sabia fazer contas de diminuir, agora sou uma expert”, comemora. 

A assessora da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do PBA da Secretaria e Educação do Estado (Seduc), Lara Viscardi, esclarece que o Programa busca inserir as pessoas socialmente. No caso dos apenados, Lara ressalta que todos querem recomeçar, mas que ainda há muita resistência por parte dos empregadores em aceitar esses trabalhadores. “Dentro da prisão eles trabalham para uma série de empresas, mas quando saem, elas não querem mais empregá-los e, muitas vezes, ocorre a reincidência no crime”, explica.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

Em homenagem aos 75 anos, professores e alunos confeccionam banners sobre o Instituto Olívia Lahn Hirt

Banner elaborado pelos professores e alunos da área das Ciências Humanas do Ensino Médio Politécnico.

Veja o banner aqui 

 

O Instituto Olívia Lahn Hirt, de Igrejinha, teve uma semana de programações especiais, de 01 a 05 de abril, para comemorar os 75 anos de funcionamento. Os 1.060 alunos do Ensino Fundamental e Médio, os 56 professores e os 10 funcionários se engajaram em atividades como jogos, confecção de vídeos e banners, gincanas e horas cívicas. Teve também a construção de um túnel do tempo, com a finalidade de fazer um resgate histórico da Escola (ver foto).

Segundo a diretora, Claudete Medeiros, o Instituto é uma referência na região, pois forma professores e atende, atualmente, a 130 alunos no curso Normal e Normal Aproveitamento dos municípios de Parobé, Três Coroas, Taquara e Igrejinha. Além disso, os alunos do curso Normal realizam seus estágios e práticas pedagógicas em praticamente todas as escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental das quatro cidades. Essa inserção nos municípios favorece grandes parcerias, garante Claudete. Os alunos participam ativamente das atividades promovidas pelas cidades, como Feiras do Livro e outros eventos ligados à educação, arte e cultura.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

 

 

 

 

 

Escola Estadual de Ensino Fundamental José de Oliveira Neto  de Araricá completou 73 anos 

 

 

 

 

 

 

  

Nota Informativa

 

Os servidores que optaram por receber seus salários em outros bancos que não seja o Banrisul, que deverão estar atentos ao se aposentar, pois quando da abertura da conta registro informaram o CNPJ a fonte pagadora (consta no contracheque) que não será mais a mesma após se tornar inativo. A fonte pagadora do Inativo é o IPERGS. Deverão comparecer na agência do Banrisul onde abriram a conta registro e atualizar esta informação, pois caso contrário o valor ficará no Banrisul em ordem de pagamento, onde devem procurar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Mais notícias: noticias/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MOSTRASENO/2014 

26/09/2014

     

 

5º EPEF da 2ª CRE

5º ENCONTRO DE PROFESSORES

DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA 2ª CRE

                                                                                          

           Observatório

  Educação Física Escolar

 

 

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO/2014

“O CONHECIMENTO E AS JUVENTUDES NO SÉCULO XXI”

02 e 04 de junho de 2014.

Programação

FOTOS

Polo de Novo Hamburgo

Polo de São Leopoldo 

Polo de Taquara 

Em breve mais fotos 

        

          

Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para sua própria produção ou sua construção.

 Paulo Freire

"A Voz do Aluno"  

 Jornal do Instituto  Estadual  Parque do Trabalhador - SL

MOSTRA CIENTÍFICA E CULTURAL 

Colegio 8 de Setembro

Estância Velha

Crianças e Jovens do RS Escrevendo Histórias - Fotos

MOSTRASENO

Mostra Cultural e Científica

Veja aqui as fotos

 

 

III  ENCONTRO DO CURSO NORMAL

 Veja as Fotos  

10ª Mostra da Educação Profissional -  Caxias do Sul      Veja as fotos

 

            ESCOLA ABERTA 

 

 

              MAIS EDUCAÇÃO

 

             ESCOLA ABERTA

           PARA A CIDADANIA 

 

LINKS

 

SEDUC - Secretaria da Educação do RS