Equipes diretivas da 2ª CRE têm reunião regionalizada

03/09/2014 11:24

 

 

Na última quarta (03), a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) chamou reunião de equipes diretivas regionalizada. As 170 escolas foram divididas por regiões e as reuniões ocorreram em três polos: Taquara, Novo Hamburgo e Harmonia. A pauta da reunião foi o Plano Estadual de Educação e uma prestação de contas da Seduc e da 2ª CRE. Os encontros foram conduzidos nos três turnos pela coordenadora, Marinês Pariz, pelo coordenador adjunto, Paulo Taufer, e pela chefia do Setor Pedagógico, Cleci Souza.

O responsável por encaminhar a discussão sobre o Plano Estadual de Educação, Paulo Taufer, falou da necessidade de as equipes diretivas mobilizarem a comunidade escolar para fazer a discussão sobre os seis cadernos temáticos. Esses cadernos contém a sistematização das 20 metas do Plano Nacional de Educação para o decênio de 2015 a 2025. Cada comunidade escolar pode propor emendas, que serão sistematizadas pela 2ª CRE e encaminhadas ao Fórum Estadual de Educação. Essas emendas serão votadas na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul e podem virar lei. “Esse processo é fundamental, pois ratifica a participação das comunidades, fortalecendo, assim, a democracia e o debate sobre a educação”, acredita Paulo.

A equipe da CRE retomou também as principais ações desenvolvidas pela Seduc nos quatro eixos estratégicos: recuperação física da rede e modernização tecnológica; reestruturação curricular e formação continuada; qualificação do sistema e democratização da gestão; valorização profissional. Por meio de quadros comparativos, de gráficos e de estatísticas, os investimentos realizados na educação, nas diferentes áreas, foram apresentados às equipes diretivas. De 2011 a 2014, o Estado investiu R$ 320 milhões em reformas e obras nas escolas. Na modernização tecnológica, foram aplicados mais de 83,5 milhões e em equipamentos e material didático, mais de R$ 89 milhões. Em linhas gerais, o investimento em Educação no Estado ultrapassou a marca dos R$ 7 bilhões, em 2014.

No eixo da qualificação do sistema e democratização da gestão, a coordenadora, Marinês Pariz, enfatizou a criação do Sistema Estadual de Avaliação Participativa (Seap), como instrumento inovador e ousado de avaliação, planejamento e monitoramento. Essa avaliação é realizada nas escolas da rede estadual, nas coordenadorias e na Seduc, a cada ano. Ainda na gestão, foi relembrada a lei de eleição de equipes diretivas, a transformação dos Conselhos Escolares em unidades executoras e o aumento dos repasses às escolas, via autonomia financeira.

Por fim, no eixo valorização profissional, foi mostrado o quadro de nomeações de professores. Até agosto de 2014, ingressaram na carreira do magistério, via concurso, 12.326 profissionais. De 2011 a 2014, 31 mil professores e 4.300 funcionários foram promovidos e os reajustes salariais e as reposições da inflação chegam a 76,68%, até novembro deste ano.

De acordo com a diretora da Escola São José do Maratá, Cristiane da Silva, a reunião foi muito valiosa, pois propiciou uma visão contextualizada e panorâmica da educação no estado: “as vezes não paramos para visualizar as ações dentro de uma totalidade e temos uma visão fragmentada das coisas”, avalia.

 

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell