Gestão Democrática é debatida em Seminário Estadual

26/09/2013 08:23
Foto da Notícia
 

Começou na manhã desta quinta-feira (26) o Seminário Estadual de Gestão Escolar: “O trabalho do gestor escolar na perspectiva da Gestão Escolar e o Progestão Online”, que acontece no Ritter Hotel em Porto Alegre, e segue até amanhã com a participação de 250 educadores. A diretora do Departamento Pedagógico, Vera Amaro, abriu a atividade destacando a importância da Formação Permanente e as parcerias construídas pela Secretaria de Educação (Seduc) com outras instituições de Ensino para ampliar e qualificar o conceito de gestão democrática. “O movimento de qualificação da Educação que o Rio Grande do Sul está passando está se tornando referência para diversos Estados do país”, observou.

Vera informou que o Seminário encerra um longo curso realizado em oito polos de estudos (Ijuí, São Leopoldo, Santa Maria, Pelotas, Porto Alegre (dois polos), Caxias do Sul e Passo Fundo) e também tem como objetivo socializar as práticas realizadas pelas gestões em diferentes regiões do Estado. Presentes na mesa de abertura a coordenadora do Progestão, Daniela Borba, e a palestrante da manhã, Isabel Letícia de Medeiros.

Isabel, que é doutora em Educação com ênfase na gestão escolar e presidente do Conselho Municipal de Educação de Porto Alegre, falou sobre as políticas educacionais vinculadas com a gestão escolar. A professora fez um resgate histórico do processo educacional do Brasil até chegar ao contexto atual onde, segundo ela, existem novas formas de exclusão, movimentos de disputas na Educação e a “força” da mídia para pautar o tema muitas vezes de forma nociva. No entanto, enfatizou que existe uma emergência de possibilidades participativas desconhecidas pelos educadores. Também citou as reformas aceleradas do século XXI instituídas pela legislação como: a inclusão das pessoas com deficiências, o Ensino Fundamental de 9 anos, a ampliação do direito a Educação dos 4 aos 17 anos, democratização do acesso, a busca da democratização do conhecimento, qualidade social para todos, o Fundeb - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – e o Estado como avaliador do Sistema de Ensino. Isabel ainda ressaltou que a ampliação da Educação sem um sistema de financiamento adequado foi, e ainda é, o responsável por uma ampliação “sucateada” da Educação.

Para finalizar, a palestrante elencou cinco heranças do Sistema: colonialismo, patrimonialismo, autoritarismo, gerencialismo e a gestão democrática como uma possibilidade de avanço. Entre os “caminhos” possíveis, a afirmação da hegemonia capitalista ou a afirmação da emancipação e novas formas de vida e consciência humana. “O que precisa ficar claro e decidido é a nossa ação e a nossa intencionalidade colocada na nossa prática diária”, encerrou.

O Seminário segue no período da tarde com a apresentação dos relatos de experiências e atividades coletivas. Confira a programação completa, e outras informações do curso nos links abaixo.

Acesse a íntegra da programação