IDEB das escolas da 2ª CRE retrata melhorias na educação pública estadual

12/09/2014 11:28

O Rio Grande do Sul superou sua meta de 5,3 nos anos iniciais, atingindo a média de 5,5, conforme mostram os resultados do último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), de 2013. Nos anos finais, do sexto ao nono ano, o Estado passou de 3,8, em 2011, para 3,9, em 2013. Os resultados gerais do IDEB tiraram o Estado da nona colocação, projetando-o para o segundo lugar nacional, demonstrando os avanços que a educação teve.

A 2ª CRE realizou algumas visitas para acompanhar esse avanço pedagógico em suas escolas. Exemplo disso é a Escola Piu XII, de Bom Princípio, que atingiu a média de 7,0 nas séries iniciais do Ensino Fundamental. De acordo com a diretora, Maridalfa Bonfanti Luft, os resultados são fruto dos projetos pedagógicos desenvolvidos na escola, do envolvimento da comunidade e dos professores e dos investimentos realizados na educação pela Seduc.

A Escola 10 de Setembro, de Dois Irmãos, também está comemorando seus resultados. Nas séries iniciais do Ensino Fundamental, a Escola superou a sua meta de 6,0 pontos, alcançando 6,8. Já nas séries finais, a Escola pulou 10 pontos: de 4,4, em 2011, foi para 5,4, em 2013. Para a supervisora da escola, Andreia Blume, os resultados se devem ao planejamento participativo entre pais e professores para superar as dificuldades: “procuramos acompanhar de perto os alunos”, afirma.

Na Escola João Wagner, de Morro Reuter, a diretora Sônia Feldmann, comemorou com a comunidade escolar a média de 7,7 no Ideb dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Sônia atribui o desempenho a vários fatores, como a formação continuada dos professores, a gestão escolar, a participação da comunidade e os projetos pedagógicos interdisciplinares. A Escola desenvolve vários projetos ligados à leitura, confirmando o título de cidade leitora, atribuído à Morro Reuter, que tem, inclusive, um monumento dedicado aos livros na sua entrada. “Os alunos dos 4ºs e 5ºs anos apadrinham alunos dos 1ºs, 2ºs e 3ºs anos, introduzindo-os no universo da leitura”, explica a diretora. Para a aluna do 6º ano, Maysa Deimling Zimmer, a nota no IDEB foi resultado de muito empenho e da ajuda constante dos professores.

Para a coordenadora da 2ª CRE, Marinês Pariz, os resultados do IDEB refletem as políticas da Seduc: “foram feitos muitos investimentos na recuperação dos espaços físicos, recursos para equipamentos e mobiliário, modernização tecnológica e formação de professores”, declara. A maioria dos municípios de abrangência da 2ª CRE venceu as metas para 2013 na educação estadual, como é o caso de São Leopoldo, por exemplo, cuja meta era de 5,3, mas atingiu 5,4.

 

 

Jornalista responsável: Mariléia Sell

 

Fotos: Visita à Escola João Wagner